ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 38º

Interior

Vítima da covid, adolescente era mãe de bebê nascido há 1 mês

Apesar de saudável, jovem estava no grupo de risco por conta da gestação e morreu no dia 19 de junho

Por Silvia Frias | 21/06/2021 11:29
Selvíria registra 14 óbitos por covid e 521 infectados pela doença (Foto /Divulgação)
Selvíria registra 14 óbitos por covid e 521 infectados pela doença (Foto /Divulgação)

A adolescente de 17 anos que está entre as mortes pela covid-19 no boletim da SES (Secretaria Estadual de Saúde) no fim de semana, estava internada no hospital em Três Lagoas, se recuperando do parto do filho, nascido no dia 25 de maio. A jovem morava com a família em Selvíria e, embora saudável, entrou para o grupo de risco por ser gestante.

A garota teve gestação normal e estava com sobrepeso, mas nada preocupante o que a enquadrasse como obesa. “Isso que assusta, era pessoa saudável, não imaginávamos que fosse evoluir para óbito”, conta a coordenadora da Vigilância Sanitária de Selvíria, Jeane Alves de Jesus.

Jeane conta que a garota foi internada no dia 25 de maio no hospital Nossa Senhora Auxiliadora, em Três Lagoas, unidade de referência para partos na região. O filho nasceu aquele mesmo dia e a jovem mãe ficou internada, em recuperação. Como apresentou sintomas, foi submetida a exame RT-PCR, tendo o diagnóstico positivo para covid-19 no dia 27 de maio.

Preliminarmente, de acordo com a coordenadora, acredita-se que ela já estava infectada antes de ser levada a Três Lagoas, pois estaria com alguns sintomas, mas não havia relatado no momento da internação.

O quadro clínico se agravou, a adolescente foi intubada no dia 29 de maio e morreu no dia 19 de junho. “A gente tinha esperança que ela se recuperasse, pela idade, pelas condições de saúde, mas era puérpera, tem uma debilidade natural do organismo”, disse Jeane. A jovem morava com os pais na área urbana de Selvíria e estudava na escola estadual Ana Maria de Souza.

O bebê não foi infectado pela doença e, após receber alta hospitalar, foi levado pela avó materna, que passou por período em quarentena, mas nem ela, nem o marido desenvolveram a doença. Outros familiares tiveram diagnóstico positivo, mas em data posterior a da adolescente e, por isso, a Vigilância acredita que os casos não tenham relação.

Jeane conta que a adolescente não havia sido vacinada ainda, pois as gestantes e puérperas ainda não haviam entrado no calendário de vacinação até o momento da internação dela. O filho irá completar um mês de vida na próxima sexta-feira (25).

A adolescente já ingressou no boletim municipal com 14 mortes e 521 infectados pela covid-19.

Pelo vacinômetro da prefeitura de Selvíria, foram aplicadas 3.935 vacinas contra covid-19, o que representa 43,56% para primeria dose.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário