A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

10/10/2013 09:11

Plano para segurança na fronteira prevê 3,1 mil policiais e agentes

Leonardo Rocha
André destaca que governo federal precisa apoiar o Estado já que 4 mil presos são federais (Foto: Arquivo)André destaca que governo federal precisa apoiar o Estado já que 4 mil presos são federais (Foto: Arquivo)

O governo estadual divulgou, hoje no Diário Oficial, o plano estadual de segurança na fronteira. As ações de combate ao crime organizado, contrabando, tráfico de drogas, homicídios, execuções e roubos de veículos vão contar com efetivo de 3,1 mil policiais e agentes de segurança. 

O plano destaca que existe uma rota de veículos furtados e roubados de outros estados que passam por Mato Grosso do Sul em “moeda” de troca por drogas e armas, já que os países vizinhos são produtores de maconha, haxixe, cocaína e crack.

Outra preocupação é com a entrada de drogas e contrabando no Estado em direção aos grandes centros comerciais do país. Estes produtos ilícitos são controlados por facções criminosas e o crime organizado.

De acordo com o governo estadual, todo este plano de ação será publicado em detalhes em ato da Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública.

Estrutura - O governo divulgou que a fronteira com o Paraguai tem uma extensão de 1.131 km, sendo 434 apenas de fronteira seca. Em relação à Bolívia são 386 km com 319 de área seca.

O executivo estadual conta com um efetivo de 3.140 profissionais divididos em instituições que atuam na faixa de fronteira. A DOF (Departamento de Operações de Fronteira) e Defron (Delegacia Especializada de Repreensão aos Crimes de Fronteira) têm quatro unidades e efetivo de 123 agentes.

Já a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) possui 22 unidades, com efetivo de 432. Ela tem a disposição 2.518 vagas, no entanto tem uma população carcerária de 5.285.

A SAS – UNEI (Unidade Educacional de Internação) tem cinco unidades com efetivo de 121 profissionais e 140 vagas a disposição, apesar de ter uma população carcerária de 154. Já a Policia Militar tem disponíveis 74 unidades na área de fronteira, tendo efetivo de 1453 agentes.

A Polícia Civil possui 64 unidades, com 409 profissionais, enquanto a perícia tem sete (unidades) e 127 agentes à disposição. Para completar o trabalho, o Corpo de Bombeiros dispõem de 14 unidades, com um grupo de 475 membros.

Reclamação - O governador André Puccinelli (PMDB) declarou que precisa de apoio e investimentos do governo federal em relação à segurança na fronteira, já que segundo ele, o Estado do Mato Grosso do Sul tem mais de 4 mil presos federais, que estão envolvidos em crimes como tráfico de drogas, contrabando e roubo de veículos nesta faixa de fronteira com os países vizinhos.



Espero que esse governo contrate mais que o previsto no editais da policia militar e civil, pois tem muita poucas vagas nesses concursos,precisamos de mais agentes de segurança em nosso estado.
 
Lucio Mauro em 11/10/2013 10:16:49
Nosso Estado precisa de mais atenção do governo federal, pois é o portão de entrada para o tráfico, o patrulhamento ostensivo das polícias e as barreras do exército podem reduzir drasticamente o abastecimento de drogas nas grandes cidades, o perfeito seria não passar nada mas a área de fronteira é muito extensa e precisa de mais investimentos.
 
Sandro Lima em 10/10/2013 11:26:38
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions