A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 26 de Maio de 2017

09/05/2017 16:58

Aéreas começam a implementar novas regras para bagagens no próximo mês

Sabrina Craide, da Agência Brasil
Movimento no saguão do Aeroporto Internacional de Campo Grande (Foto: Alcides Neto / Arquivo)Movimento no saguão do Aeroporto Internacional de Campo Grande (Foto: Alcides Neto / Arquivo)

A partir do próximo mês, as empresas aéreas vão começar a cobrar para despachar bagagens e a oferecer tarifas com desconto para quem não utilizar o serviço. A cobrança pelo despacho de malas foi liberada pela Justiça no dia 28 de abril, depois que uma liminar que proibia a taxa foi derrubada.

A partir do dia 20 de junho, a Gol vai oferecer uma tarifa mais barata para quem não precisar despachar bagagens, chamada de Light. Já as tarifas com preço normal vão incluir uma franquia de 23 quilos.

Se o cliente que comprou o bilhete da tarifa Light decidir posteriormente despachar a bagagem, poderá pagar à parte. Nos voos nacionais, será cobrado R$ 30 para despachar uma mala de até 23 quilos, quando adquirida nos canais de autoatendimento e nas agências de viagens. Quem deixar para pagar no balcão do check-in vai pagar o dobro.

A Azul vai disponibilizar a partir de 1º de junho tarifas com até 30% de desconto para clientes que partem de Viracopos, em Campinas, para 14 destinos pelo país e que não despacham bagagens. Ao optar por essa tarifa, o cliente poderá escolher pela compra ou não do serviço de bagagem despachada e, se mudar de ideia, poderá incluir os 23 quilos por R$ 30.

A nova opção será inserida gradativamente para atender a toda a malha de voos da empresa. Os clientes que comprarem a passagem pelo preço normal continuam com a franquia de bagagem de 23 quilos.

A Latam informou que as regras de bagagens da companhia permanecem inalteradas e que informará oportunamente sobre as mudanças a seus passageiros nos canais oficiais da empresa. Anteriormente, a empresa havia anunciado que ainda este ano passaria a cobrar R$ 50 pela primeira mala de 23 quilos despachada pelos passageiros nos voos domésticos.

A Avianca disse que prefere estudar a questão nos próximos meses para criar produtos tarifários customizados para melhor atender às necessidades dos diferentes perfis de clientes. A empresa informa que implementará todas regras aprovadas pela Anac no prazo determinado.

Consumidor – A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) diz que as novas regras para o setor podem beneficiar o consumidor e baixar o preço das passagens no país. Já para o Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), o desmembramento da cobrança da bagagem e da passagem visa a dar mais lucro às empresas e não dar transparência.

Justiça derruba liminar e empresas aéreas podem cobrar por despacho de bagagens
A Justiça Federal do Ceará, derrubou a liminar que suspendia a cobrança pelo despacho de bagagens em voos no Brasil. A decisão é do juiz federal, Alc...
Justiça mantém suspensão da cobrança por despacho de bagagens
A Justiça manteve hoje (14) a suspensão da cobrança por despacho de bagagem em aeroportos brasileiros, que entraria em vigor nesta terça. Recurso da ...
Anac recorre de decisão que proíbe cobrança pelo despacho de bagagens
A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) recorreu da decisão liminar da Justiça Federal em São Paulo que proibiu as companhias aéreas de começarem ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions