ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  31    CAMPO GRANDE 23º

Educação e Tecnologia

Alunos "vulneráveis" vão receber merenda mesmo sem aulas

Rede estadual vai encaminhar atividades para os alunos fazerem em casa a partir de segunda-feira

Por Tainá Jara | 17/03/2020 15:56
Escola Estadual Joaquim Murtinho, localizada na Avenida Afonso Pena (Foto: Arquivo/Danielle Errobidarte)
Escola Estadual Joaquim Murtinho, localizada na Avenida Afonso Pena (Foto: Arquivo/Danielle Errobidarte)


A secretária de Estado de Educação, Maria Cecília Amêndola, afirmou que o fornecimento de merenda escolar será feito aos alunos mais carentes das escolas da rede estadual, durante o período de suspensão das aulas presencias, estabelecida para evitar a disseminação do novo coronavírus. Decreto publicado nesta terça-feira, determinou que o novo regime de aulas entrará em vigor na próxima segunda-feira e seguirá, a princípio, até o dia 6 de abril.

A medida afeta aproximadamente 250 mil alunos de 1,7 mil escolas, além de 25 mil professores e funcionários. Os próximos dias (de 18 a 20) ficam reservados para que a comunidade escolar se adapte. Seis casos do novo coronavírus foram confirmados em Mato Grosso do Sul.

Para o fornecimento de alimento, será feito levantamento no banco de dados da secretaria para priorizar as crianças que realmente precisam. “Vamos precisar fazer uma cooperação e ver quais famílias tem Bolsa Família ou fazem parte de projetos sociais e oferecer essa merenda para as crianças”, explicou a secretária.

A restrição será feita, pois, será necessário que as famílias retirarem a refeição na escola. Conforme a secretária, se o alimento fosse oferecido a todos, o deslocamento até as unidades não evitaria a aglomeração, principal motivo da medida.

Faltas ocorridas entre ontem e a próxima sexta-feira também devem ser abonadas.

Amêndola explicou que a medida não vai causar alteração no calendário escolar. As unidades permanecerão abertas com a presença de diretores e coordenadora. Os professores poderão optar por trabalhar na escola ou em casa. Os alunos deverão levar atividades para casa durante este período.

Prefeitura - No município, a Semed (Secretaria Municipal de Educação) ainda não definiu a estratégia de distribuição das refeições para as crianças matriculadas na Emeis (Escolas Municipais de Educação Infantil). Elas costumam ficar nas unidades por período integral.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário