ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, QUINTA  09    CAMPO GRANDE 28º

Educação e Tecnologia

Alunos "vulneráveis" vão receber merenda mesmo sem aulas

Rede estadual vai encaminhar atividades para os alunos fazerem em casa a partir de segunda-feira

Por Tainá Jara | 17/03/2020 15:56
Escola Estadual Joaquim Murtinho, localizada na Avenida Afonso Pena (Foto: Arquivo/Danielle Errobidarte)
Escola Estadual Joaquim Murtinho, localizada na Avenida Afonso Pena (Foto: Arquivo/Danielle Errobidarte)


A secretária de Estado de Educação, Maria Cecília Amêndola, afirmou que o fornecimento de merenda escolar será feito aos alunos mais carentes das escolas da rede estadual, durante o período de suspensão das aulas presencias, estabelecida para evitar a disseminação do novo coronavírus. Decreto publicado nesta terça-feira, determinou que o novo regime de aulas entrará em vigor na próxima segunda-feira e seguirá, a princípio, até o dia 6 de abril.

A medida afeta aproximadamente 250 mil alunos de 1,7 mil escolas, além de 25 mil professores e funcionários. Os próximos dias (de 18 a 20) ficam reservados para que a comunidade escolar se adapte. Seis casos do novo coronavírus foram confirmados em Mato Grosso do Sul.

Para o fornecimento de alimento, será feito levantamento no banco de dados da secretaria para priorizar as crianças que realmente precisam. “Vamos precisar fazer uma cooperação e ver quais famílias tem Bolsa Família ou fazem parte de projetos sociais e oferecer essa merenda para as crianças”, explicou a secretária.

A restrição será feita, pois, será necessário que as famílias retirarem a refeição na escola. Conforme a secretária, se o alimento fosse oferecido a todos, o deslocamento até as unidades não evitaria a aglomeração, principal motivo da medida.

Faltas ocorridas entre ontem e a próxima sexta-feira também devem ser abonadas.

Amêndola explicou que a medida não vai causar alteração no calendário escolar. As unidades permanecerão abertas com a presença de diretores e coordenadora. Os professores poderão optar por trabalhar na escola ou em casa. Os alunos deverão levar atividades para casa durante este período.

Prefeitura - No município, a Semed (Secretaria Municipal de Educação) ainda não definiu a estratégia de distribuição das refeições para as crianças matriculadas na Emeis (Escolas Municipais de Educação Infantil). Elas costumam ficar nas unidades por período integral.