ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  03    CAMPO GRANDE 16º

Jogo Aberto

Como assim, Bernal?

Por | 08/01/2013 06:00

Durante toda a campanha, o prefeito de Campo Grande cansou de dizer que faltam médicos na rede municipal e chegou a anunciar que, eleito, contrataria 400 profissionais. Com uma semana de governo, o administrador Ivando Fonseca, escolhido para ser secretário de Saúde, fez declarações no sentido contrário ao do chefe do Executivo. Para ele, não faltam profissionais, mas sim estrutura. E agora?

Propaganda 
Mesmo depois de assumir a prefeitura, Bernal (PP) não deixou seu programa dominical. Pelo contrário, fez dele mais um veículo de divulgação da administração. Entre uma música e outra, entrevista seus secretários, exalta ações da nova prefeitura.

Discurso padrão
Assim como tem sido feito nas aparições públicas, o prefeito também está usando seu programa de rádio para criticar a administração que sucedeu, que sempre apoiou como vereador.

Análise 1
Analista político ouvido pela coluna avaliou o começo de administração de Bernal, comentando que o mandato do chefe de Executivo, em qualquer das três instâncias, tem três fases distintas: 1. A lua de mel com o poder, quando nada parece impossível e o número de “amigos’ é incontável; 2. O período intermediário, e também o mais longo, quando ele ‘se dá conta de que jamais terá recursos para pagar a conta das promessas’ – e porque não as cumpre começa perder os apoios, os “amigos” e a confiança popular; 3. E o ‘capítulo final’, que, com as raras exceções que justificam a regra, obriga o mandatário a por seus ex piores detratores no lugar dos “amigos” que abandonaram o barco – essa é a fase do “crepúsculo” que, mesmo precedido de um belo poente, põe o governante em confronto com a solidão de fim de mandato. Sem remédio e sem consolo, ele sempre j ogar na falta de recursos a culpa por não ter cumprido suas promessas.

Análise 2 

"Agora, tem gente como o Bernal, que já começa pelo fim. Aí ninguém sabe aonde vai parar. Nem ele nem Campo Grande", avalia o mesmo analista político.

Fora ar
Está aparecendo como "em manutenção" a parte do site da prefeitura de Campo Grande em que são listados os nomes das autoridades. Até o fim da semana passada, os nomes que apareciam eram os dos secretários de Nelson Trad. A julgar pela demora na formação da equipe de Bernal, a atualização vai demorar um pouco.

Efetivo
Com a ida de Amarildo Cruz para a Assembleia Legislativa, Márcio Yule é cotado para ficar no cargo de superintendente do Ibama em MS. Amarildo ficou no cargo de julho do ano passado até agora.

De novo
Yule já havia assumido o posto de superintendente, de setembro de 2011 até Amarildo ir para o cargo, em razão da demissão de David Lourenço. Para quem não se recorda, Lourenço foi demitido em meio a um escândalo envolvendo a concessão de licença ambiental para um criadouro de jacarés, mantido pelo funcionário aposentado do Ibama, Gerson Bueno.

O retorno
A Águas de Barcelona, que foi responsável pelo saneamento em Campo Grande entre 2002 e 2005, está de volta ao Brasil, mas para atuar na consultoria na área. O foco, agora, é a venda de serviços tecnológicos, com a marca Aqualogy.

Era cedo
Ao analisar o porquê de a operação em Campo Grande não ter dado certo, o diretor-geral da Aqualogy, Jonás Miguel, avaliou que a chegada da empresa ao Brasil ocorreu "antes do tempo", em entrevista ao jornal Valor Econômico.