ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEXTA  14    CAMPO GRANDE 33º

Jogo Aberto

E o Azambuja?

Por Jogo Aberto | 16/10/2012 06:00

Ainda não 1

Ao falar que rompeu com o grupo do governador André Puccinelli ao se lançar candidato, o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) desconversou sobre 2014, ontem, ao anunciar o apoio ao candidato Alcides Bernal no segundo turno em Campo Grande. Diante do resultado das urnas este ano, ele é cotado para candidaturas ao Senado e ao Gov erno do Estado.

Ainda não 2

Ao ser indagado, porém, Azambuja foi cauteloso. Disse que, até lá, tem muito chão e que “ninguém faz nada sozinho”.

Porque demorou?

E para explicar os motivos que o fizeram adiar a oficialização de apoio a Bernal, Azambuja defendeu a necessidade de dialogar com o partido e que não tomaria qualquer decisão política sozinho.

Aderimos

Tucanos que estiveram na entrevista coletiva que sacramentou apoio a Alcides Bernal no segundo turno da disputa à Prefeitura, exibiam “botons”, em forma de adesivo, apenas com a sigla do partido. Aos poucos, foram colando também “botons” dos progressistas.

Onda

Durante o evento, os líderes das legendas adotaram como mantra a necessidade de mudança na cidade e que isso foi “provado nas urnas”.

Egoísta

Também sobraram críticas ao PMDB, que foi chamado de “individualista” por “governar sozinho”.

Morde-assopra

Bernal aproveitou para fazer críticas contra a imprensa de Campo Grande, mas, aos poucos, mudou o tom e disse que o trabalho dos jornalistas é imprescindível.

Assunto alheio

Durante ato político da campanha de Edson Giroto ontem, o governador André Puccinelli não quis comentar a escolha do PSDB por apoiar o PP na disputa pela prefeitura. “Eles é que têm de falar”

Educação

Puccinelli teve comportamento semelhante em relação à reunião de mais de três horas com dirigentes dos sindicatos que representam os servidores do ensino público. Disse que eles é que deviam se manifestar.

Desconheço

Um outro assunto polêmico, o fim da exclusividade do Banco do Brasil para fazer empréstimos consignados a servidores, também mereceu resposta sucinta do governador. "Eu não sei o que foi decidido, temos de ver"