A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

05/11/2014 10:34

Candidatos ao Senado arrecadam mais do que gasto de R$ 6,3 milhões

Kleber Clajus
Senadora eleita, Simone Tebet gastou os R$ 3,2 milhões que arrecadou para a campanha (Foto: Marcelo Victor/Arquivo/Campo Grande News)Senadora eleita, Simone Tebet gastou os R$ 3,2 milhões que arrecadou para a campanha (Foto: Marcelo Victor/Arquivo/Campo Grande News)

Mesmo com gasto de R$ 6,356 milhões, entre recurso transferido de partidos e do próprio bolso, três dos seis candidatos ao Senado apresentaram “economia” na prestação de contas ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). A receita total foi de R$ 6,384 milhões. 

O empresário Antônio João Hugo Rodrigues (PSD) foi quem apresentou maior folga nas finanças.
Ele arrecadou R$ 1,577 milhão e declarou gastos de R$ 1,555 milhão. Com isso, o caixa teve sobra de R$ 22 mil. Figuram como principais fontes de receita seu partido (R$ 775 mil), o próprio bolso (R$ 289 mil) e a campanha do tucano Reinaldo Azambuja (R$ 270 mil).

Em seguida Ricardo Ayache (PT) declarou economia de aproximadamente R$ 4,8 mil. Isso porque sua arrecadação chegou R$ 1.114.389,48, ante gastos de R$ 1.109.526,08. Na prestação de contas, o petista informou repasses do Comitê Financeiro Único (R$ 458 mil), direção estadual do partido (R$ 200 mil) e do próprio bolso (R$ 129 mil).

Outro que também economizou foi o ex-prefeito Alcides Bernal (PP), totalizando R$ 132,72. Ele apresentou receita de campanha de R$ 452,4 mil, tendo fechado processo eleitoral totalizando R$ 452.267,28. A direção nacional do partido foi quem mais contribuiu com R$ 400 mil, mas Bernal desembolsou ainda R$ 38,6 mil.

Já a senadora eleita Simone Tebet (PMDB) gastou exatamente o que arrecadou, R$ 3.237.373,61. Dentre as fontes de receita sobressaem repasse de R$ 3 milhões do diretório estadual do partido e R$ 100 mil da empresa Fibria Celulose S/A.

O mesmo ocorreu com Lucien Rezende (PSOL) e Valdemir Cassimiro (PSTU) que tiveram receita e gastos de R$ 1.165,50 e R$ 981,72, respectivamente. Neste caso, Rezende contou somente com recursos do partido e Cassimiro com transferências do presidente estadual Suél Ferranti (R$ 200) e da integrante da executiva regional Cléia Aparecida (R$ 250).

Marun ainda quer votar relatório da JBS antes de posse no ministério
Na véspera de ser empossado como ministro da Secretaria de Governo, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), relator da Comissão Parlamentar Mista de Inqué...
Senado aprova R$ 1,9 bi a estados para compensar desoneração de exportações
Após suspender a sessão do Congresso Nacional, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), retomou os trabalhos do plenário da Casa com o obj...
Temer discutirá data de votação da reforma da Previdência nesta quinta
O anúncio do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), de que a votação da proposta de reforma da Previdência ficará para fevereiro causou r...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions