A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

03/10/2010 21:09

Urnas renovam Assembleia em 41%; 10 não se elegem

Redação

A Assembléia Legislativa de Mato Grosso do Sul vai ter uma renovação de 41% quando tomarem posse os eleitos neste 3 de outubro. Dos 24 deputados estaduais que compõe hoje a Assembléia Legislativa de Mato Grosso do Sul, 10 não estarão mais na casa.

Desses, dois não se candidataram, Celina Jallad (PMDB), que deve ser nomeada para o Tribunal de Contas do Estado, e Antônio Braga.

Outros dois deputados se candidataram à Câmara Federal, Akira Otsubo (PMDB), que não foi eleito, e Reinaldo Azambuja, que conquistou uma das oito vagas de deputado federal destinadas a Mato Grosso do Sul.

Excluídos Há ainda seis parlamentares que foram derrotados nas urnas. Entre eles, estão dois nomes do PT, Pedro Teruel, hoje líder da bancada, e Amarildo Cruz, vice-líder. O líder da bancada do PSDB , Professor Rinaldo, também não conseguiu se eleger.

Ex-comandante da Polícia Militar em Mato Grosso do Sul, o deputado Coronel Ivan também saiu derrotado das urnas.

Após sete mandatos, o deputado Ary Rigo (PSDB), também não se elegeu. Envolvido em uma polêmica após a divulgação de gravações em que conversa com o ex-secretário de Dourados Eleandro Passaia, Rigo teve na votação de hoje 14 mil votos a menos que a na de 2006, ficando de fora da lista dos eleitos.

O atual líder do Governo na Assembleia, Youssif Domingos (PMDB), também ficou de fora. Ele teve 20,5 mil votos, contra 27,1 mil em 2006.

Rinaldo Modesto ainda tem probabilidade de voltar à Assembleia, pois ficou na primeira suplência da coligação pela qual disputou as eleições. Ele tem chance de entrar na vaga de Carlos Marun, deputado eleito que pode continuar ocupando a Secretaria Habitação e Cidades, como já aconteceu na eleição passada. (Matéria editada às 8h05 de 4 de outubro para correção de informação).

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions