A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

11/11/2016 07:47

Em ato de greve geral, professores fazem manifestação na Praça do Rádio

Ao menos 400 mil estudantes estão sem aula em Mato Grosso do Sul

Yarima Mecchi

Os professores das escolas municipais e estaduais vão se reunir na Praça do Rádio logo mais, às 8h, para manifestar contra o governo do presidente Michel Temer (PMDB). De acordo com o presidente da ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública), Lucílio Nobre, o ato representa a contrariedade de ações que o atual governo está tentando fazer sem consultar a população.

Veja Mais
Greve geral garante 2ª 'semana do saco cheio’ para 400 mil estudantes
"Greve geral" amplia para cinco dias feriadão de 270 mil alunos em MS

"Estamos em um regime de ditadura, eles querem mudar e não consultam a população. Só querem mudar e somos contra", afirmou Lucílio.

A ação faz parte da "Greve Geral Nacional" organizada em todo o país pelas Centrais Sindicais contra a antiga PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 241, atual PEC 55 que está tramitando no Senado, que limita os gastos públicos do País durante 20 anos. A reforma do Ensino Médio, MP , a flexibilização do contrato de trabalho, a prevalência do negociado sobre o legislado, e em defesa da lei do piso.

Durante o ato na praça do Rádio Clube, haverá apresentação teatral com o Grupo Imaginário Maracangalha, show tributo a Raul Seixas com a banda Moscas de Bar, discursos e panfletagem a fim de esclarecer a população sobre os malefícios que tais medidas provocam. O presidente da ACP não soube informar quantos alunos estão sem aula na rede pública de Campo Grande. "Maior parte das escolas do município".

Greve - Ao menos 400 mil estudantes dos ensinos fundamental, médio e superior de instituições públicas de Mato Grosso do Sul terão mais um “feriadão” prolongado. Por conta da “greve geral” de trabalhadores brasileiros.

O Governo do Estado, a Prefeitura de Campo Grande e a maior parte das repartições públicas federais decretaram ponto facultativo na segunda-feira (14) por causa do feriado da Proclamação da República na terça (15).

No Estado, o movimento é organizado pela CUT (Central Única de Trabalhadores), Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), ACP, Adufms (Associação dos Docentes da Universidades Federal de Mato Grosso do Sul), Sista-MS ( Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul ), Aduems (Associação dos Docentes da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), dentre outros sindicatos.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions