A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

05/05/2015 16:46

Acusado de três assassinatos integrava quadrilha do “falso frete”

Alexandro da Silva, apontado como autor do assassinato de casal e de uma adolescente, foi preso junto com outras sete pessoas

Helio de Freitas, de Dourados
Alexandro “Pepe”, fotografado polícia na cama do hospital, e outros três integrantes da quadrilha (Foto: Divulgação)Alexandro “Pepe”, fotografado polícia na cama do hospital, e outros três integrantes da quadrilha (Foto: Divulgação)

A Polícia Civil informou hoje que Alexandro da Silva, 31 anos, conhecido como “Bugão” ou “Pepe”, preso na semana passada em Dourados, a 233 km de Campo Grande, além de procurado por envolvimento em três assassinatos ocorridos em dezembro do ano passado em Itaporã, fazia parte de uma quadrilha especializada em assaltar donos de caminhões através do chamado “falso frete”.

Veja Mais
Acusado de matar casal em Itaporã em dezembro é baleado pela polícia
Carro de casal assassinado seria usado no tráfico de drogas, diz polícia

Outras sete pessoas, entre elas a mulher de Pepe, Lucimar Calisto de Souza, foram presas na segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul, a 233 km de Campo Grande. Alexandro tentou fugir, levou um tiro na barriga, disparado por um agente da Defron (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira), e está internado no Hospital da Vida, vigiado por forte esquema de segurança.

Alexsandro da Silva é acusado de participação no assassinato do casal Marco Antonio Duarte Landrin, 39, e Vilma Santana Toldato, 33, em dezembro do ano passado no município de Itaporã. Ele também é apontado pela polícia como autor da morte da adolescente Ana Lorena dos Santos, 14 anos, encontrada no dia 30 de dezembro do ano passado em uma plantação de soja, também em Itaporã. Lorena era namorada de Alexandro e teria sido usada como “isca” para atrair Marco Landrin e Vilma Santana, mortos para que a quadrilha roubasse o Fiat Uno do casal.

Falso frete – Conforme a Polícia Civil, os demais integrantes da quadrilha de Pepe presos pela Defron foram Carlos Henrique dos Santos, 27, o "Raposa", Willian Iop Gonçalves, 25, o “Dentinho , Joel Dos Santos Dionísio, 21, o “Luquinha", Fabiana Pereira Lemos, 19, a "Fabi", Lucimar Calisto De Souza, 19, Sheila Ferri, 29, e Maicon Juliano Pilecco Ferreira, 23.

A quadrilha era especializada em praticar o "falso frete", quando proprietários de veículos são induzidos a fazer um frete, mas acabavam rendidos pelo grupo e mantidos em cárcere privado até que o veículo fosse levado ao Paraguai e trocado por drogas. Conforme a Defron, a quadrilha se preparava para roubar um caminhão na BR-163, na região conhecida por Trevo da Bandeira, saída de Dourados para Ponta Porã.

Carlos Henrique, o “Raposa”, embarcaria no caminhão e renderia o motorista. Em seguida, Willian "Dentinho" e Joel "Luquinha" seriam chamados para vigiar o caminhoneiro amarrado até que o veículo chegasse ao Paraguai. “Raposa” foi abordado pelos policiais na garupa de uma motocicleta pilotada por Fabiana Lemos. Com ele foi encontrado um revólver calibre 32, fornecido por Alexandro.

Após as primeiras prisões, os policiais chegaram até a residência de "Fabi", na Vila Cachoeirinha, região sul da cidade, onde Alexandro e sua esposa Lucimar estavam junto com o casal Sheila e Maicon. Segundo a polícia, os suspeitos resistiram à prisão e “Pepe” foi ferido com um tiro na cintura. No local foram localizados diversos papelotes de pasta-base de cocaína em porções prontas para a venda, o que demonstra, conforme a polícia, que a casa era um ponto de distribuição de drogas.

Os policiais seguiram então até uma residência no Jardim Novo Horizonte, região oeste de Dourados, onde "Dentinho" e "Luquinha" aguardavam para pegarem o caminhoneiro. Ambos foram presos e confessaram o assalto. Afirmaram que agiriam a mando de um interno da penitenciária de segurança máxima de Dourados e que receberiam R$ 5 mil cada um.

Os oito suspeitos foram autuados em flagrante por porte ilegal de arma de fogo, tráfico de drogas e associação para o tráfico. Alexsandro possuía quatro mandados de prisão, um deles por participação na morte do casal de Maracaju e da namorada.

Ficha criminal – Conforme a Polícia Civil, "Raposa" e "Dentinho" são de Três Lagoas e confessaram participação em outro roubo de caminhão de frete em Dourados, em março deste ano, quando o motorista ficou amarrado enquanto o veículo era levado para o Paraguai. Também confessaram envolvimento no assalto a um mercado no Jardim Novo Horizonte, há dois meses.

"Luquinha" já teria participado de outros assaltos a veículos em Dourados e estava cumprindo pena em liberdade condicional na cidade de Glória de Dourados, sendo que a motocicleta utilizada pela quadrilha era de sua propriedade. Sheila e Maicon são de Xanxerê (SC) e estavam na "boca” há duas semanas, aguardando para levar drogas até a cidade catarinense.

Quadrilha tinha participação de três mulheres, uma delas esposa do suspeito de cometer assassinatos em Itaporã (Foto: Divulgação)Quadrilha tinha participação de três mulheres, uma delas esposa do suspeito de cometer assassinatos em Itaporã (Foto: Divulgação)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions