A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

05/08/2015 13:23

Cidade vê desenvolvimento e mais segurança com duplicação de rodovia

Helio de Freitas, de Dourados
Posto de pedágio em trecho duplicado da BR-163 no município de Naviraí (Foto: Divulgação)Posto de pedágio em trecho duplicado da BR-163 no município de Naviraí (Foto: Divulgação)

Além de segurança e comodidade aos condutores de veículos, a duplicação da BR-163 em Mato Grosso do Sul podem incentivar o crescimento e desenvolvimento econômico de cidades próximas à rodovia, como é o caso de Naviraí, a 366 km de Campo Grande.

Veja Mais
CCR entrega duplicação e cobrança de pedágio deve começar em outubro
"Sonho impossível", duplicação começa a virar realidade na BR-163

De acordo com a prefeitura, naquele município do cone sul de MS a duplicação será do km 117 ao km 150, totalizando 33 km entre as pontes do Rio Amambai (divisa com Itaquiraí) e sobre o Rio São Lucas, na divisa com Juti. O projeto prevê a construção de três viadutos e seis pontos de retorno.

Reunião ontem entre gerentes da prefeitura, representante da CCR MSVia, da Copasul e empresários da cidade discutiu a logística para duplicação no trecho em Naviraí. Entre os temas abordados estão as vias de acesso à rodovia, nas saídas e entradas para a zona urbana e rural do município, implantação dos retornos e sobre as obras já estão em andamento.

O gerente de Obras Flávio Tanus defendeu a implantação de uma via marginal, de domínio do município. Segundo ele, o percurso seria do trevo em frente à usina de álcool e açúcar até o Trevo das Araras. “Precisamos preparar a cidade para o futuro e isso traria novos comerciantes e empresas, uma vez que teríamos uma via de acesso à cidade sem necessidade dos condutores transitarem pela BR-163”, afirmou.

O gerente de Desenvolvimento Econômico, Roberto Pedro da Rocha, disse que outra discussão foi sobre a instalação dos retornos. Além dos seis já programados para construção, um sétimo foi solicitado entre o Trevo das Araras e o Posto da PRF. O pedido será feito à ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). “Percebemos que nesse trecho o retorno ficaria muito distante, prejudicando os usuários e empresários que pretendem se instalar na cidade”.

Marcelo Tezani, relações institucionais da CCR MSVia, informou que todos os pedidos foram colocados em ata e serão apreciados pela ANTT e pela concessionária.




A reportagem acima não corresponde a verdade, pois seguidamente uso a rodovia de Campo Grande a Dourados e a unica duplicação que vi está sendo feita nos quiches da cobrança do pedágio.
Além disso, fazem paradas extremamente perigosas, pois dias desses quase entrei em baixo de um caminhão.
Espero que tenham mais cuidado na administração das paradas e nas reportagens.
 
CGRoberto em 05/08/2015 16:43:30
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions