A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

10/11/2016 17:59

Em Sonora, explosão foi em abril, mas até hoje moradores estão sem banco

Luana Rodrigues
Agência ficou completamente destruída; obras de reconstrução estão em fase inicial. (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)Agência ficou completamente destruída; obras de reconstrução estão em fase inicial. (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)

Há sete meses, moradores de Sonora estão sem agência bancária. No município, que fica 364 quilômetros ao norte de Campo Grande, bandidos explodiram e fugiram com dinheiro do Banco do Brasil, o único na cidade, assim como fizeram na noite desta quinta-feira (10) em Pedro Gomes, na mesma região.

Veja Mais
Ação do “novo cangaço” teve prego perto de delegacia e tiros para o alto
Explosão deixa moradores sem banco; mais próximo fica a 50 km

De acordo com o Banco do Brasil, a obra para reconstrução da agência em Sonora começou, mas ainda não há prazos para que volte a funcionar. Enquanto isso, moradores contam apenas com uma casa lotérica e uma agência dos Correios, como correspondente bancário. No entanto, as duas unidades não realizam todos os tipos de transações, e há limite de valores.

Para conseguir realizar algumas transações, quem mora na cidade precisa se deslocar até Ouro Branco, município do Estado do Mato Grosso, que fica a 23 quilômetros de Sonora. “É sempre um transtorno, mas já estamos nos acostumando”, conta a escrivã, Marcia Lopes, 36 anos.

Por meio de nota, o BB lamentou os transtornos enfrentados pelos moradores de Sonora, considerando que “os prejuízos causados não se limitam aos valores subtraídos. Mais que isso, envolvem a preservação da integridade física e emocional de seus clientes, funcionários e prestadores de serviço, além dos investimentos necessários para a recuperação das dependências. Em função do nível da avaria provocada, equipes do Banco trabalham para normalizar o atendimento das unidades, ainda sem previsão de reabertura."

Para minimizar os transtornos, o banco disponibiliza atendimento por soluções digitais, como o aplicativo BB para celular, o Portal BB na Internet e pela Central de Atendimento pelo telefone 0800-729-0001.

Novo Cangaço – A quadrilha que explodiu o banco, atirou contra a polícia e baleou um morador, usou fuzis e submetralhadoras. O bando, que tinha de 8 a 12 homens, danificou também a rede elétrica, deixando sem energia a rua do Centro de Sonora.

Depois de destruir a agência do Bando do Brasil e usar dois reféns para ajudar a recolher o dinheiro, os grupos que estavam em mais de um carro, seguiram por uma estrada vicinal que dá acesso ao Alto Taquari, no Estado do Mato Grosso. Os reféns foram dois taxistas que passavam pela Avenida Marcelo Miranda Soares no momento do roubo. Sem agressões, eles foram liberados a cerca de 5 quilômetros do local, na saída da cidade.

O morador, que levou um tiro na perna, foi socorrido ao Hospital Municipal, mas como o ferimento foi superficial ele foi medicado e liberado. Ele estava saindo de casa no momento em que recebeu um dos diversos disparos. Enquanto um grupo assaltava a agência, outro disparava contra os carros da delegacia de Polícia Civil e do batalhão da Polícia Militar. Os alvos eram os pneus e os motores das viaturas.

Em julho, a polícia prendeu José Ronaldo dos Santos, 40 anos, Wellington Xavier, 37 anos e Márcio Rodrigues, 38 anos, foram presos em Várzea Grande, no Mato Grosso. Já Wemerson Alves, 32 anos, foi encontrado pela polícia em Goiás.

As prisões foram feitas pelo Garras em parceria com a Delegacia de Sonora, o GCCO (Gerência de Combate ao Crime Organizado) de Cuiabá (MT) e a Delegacia de Roubo a Banco de Goiânia (GO).




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions