A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

19/02/2015 14:54

Fracassa 1ª tentativa de permuta para nova sede da Câmara de Dourados

Nenhuma empresa se interessou em construir o novo prédio para ficar com a atual sede do Legislativo como pagamento

Helio de Freitas, de Dourados
Idenor machado (de pé à esquerda) apresenta projeto da nova sede, no dia 6 deste mês; nenhuma empresa se interessou pelo negócio (Foto: Eliel Oliveira)Idenor machado (de pé à esquerda) apresenta projeto da nova sede, no dia 6 deste mês; nenhuma empresa se interessou pelo negócio (Foto: Eliel Oliveira)

Fracassou a primeira tentativa da Câmara de Vereadores de Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande, de encontrar uma empresa interessada em bancar a construção da nova sede do Legislativo e receber como pagamento o prédio onde funciona a atual sede. Nenhuma construtora mandou proposta na licitação feita pela prefeitura e um novo processo foi aberto até o dia 23 de março. Se houver novo fracasso, a Câmara admite a possibilidade de fazer a obra com sobras do repasse mensal feito pela prefeitura. O novo prédio está avaliado em cerca de R$ 6 milhões.

Veja Mais
Câmara apresenta projeto de nova sede, orçada em R$ 6 milhões
Prefeitura abre licitação para construir nova sede da Câmara de Vereadores

Com 19 vereadores, a Câmara da segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul funciona em prédio do patrimônio do município, localizado na Avenida Marcelino Pires, próximo ao shopping da cidade. A ideia do atual presidente, Idenor Machado (DEM), é construir uma sede nova em um terreno do município, de oito mil metros quadrados, no cruzamento das ruas Joaquim Teixeira Alves e Coronel Ponciano, onde existia uma praça – abandonada há anos pelo poder público.

A primeira licitação terminou na semana passada, mas nenhuma empresa oficializou proposta. Sem interessados em assumir a obra, a prefeitura já abriu nova licitação nesta quinta-feira e deu prazo até o dia 23 do próximo mês para apresentação das propostas. Por lei, a sede da Câmara pertence ao município e cabe ao Executivo administrar esse patrimônio.

O prédio projetado a pedido de Idenor Machado terá quase quatro mil metros quadrados de área construída, com dois pisos, estacionamento subterrâneo e 24 gabinetes, embora a cidade tenha 19 vereadores. “Estamos pensando no município com 300 mil habitantes daqui uns anos e se precisar aumentar o número de vereadores já teremos os gabinetes prontos”, alega Idenor.

O presidente do Legislativo douradense já afirmou que se não houver interessado no negócio na segunda tentativa a própria Câmara vai assumir a obra, com sobras do duodécimo repassado pela prefeitura. “Em 2014 economizamos R$ 2,6 milhões do duodécimo. Já devolvemos R$ 1,2 milhão para a prefeitura e depositamos R$ 1,4 milhão. Estamos com esse dinheiro reservado para começar a obra, caso não haja interessado na permuta”, explicou Idenor, que preside a Câmara pela terceira vez consecutiva.

Apesar do gasto elevado com a obra, Idenor defende a ideia de que a nova sede vai melhorar o atendimento à população. “Decidimos propor a nova sede em atenção às reclamações do público. Aqui não tem estacionamento suficiente, o prédio foi construído para ser uma agência bancária e teve de ser todo adaptado para abrir os gabinetes. Até a rede sanitária é precária”.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions