A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

07/11/2016 09:57

Luto por morte de bispo emérito suspende sessões da Câmara de Vereadores

Bispo Redovino Rizzardo tinha 77 anos e morreu ontem à noite, de câncer; ele ficou conhecido por defender índios de MS

Helio de Freitas, de Dourados
Redovino Rizzardo morava em Dourados há 15 anos (Foto: Arquivo)Redovino Rizzardo morava em Dourados há 15 anos (Foto: Arquivo)

A Câmara de Vereadores de Dourados, a 233 km de Campo Grande, suspendeu as duas sessões ordinárias que seriam realizadas na noite de hoje (7). O motivo foi o luto oficial por três dias, decretado por causa da morte do bispo emérito da diocese de Dourados, Redovino Rizzardo, 77, ocorrida na noite de ontem.

Veja Mais
Paranaense será primeiro bispo negro a assumir diocese de Dourados em 57 anos
Nomeado bispo hoje, padre Henrique tem desafio de pacificação

O religioso estava em tratamento contra o câncer desde o ano passado, quando deixou a diocese para cuidar da saúde. Ele estava internado no Hospital do Coração e por volta de 18h30 de ontem foi anunciada sua morte.

Natural do Rio Grande do Sul, onde começou a se dedicar à vida religiosa aos 28 anos de idade, Redovino Rizzardo chegou a Dourados em 2001, quando foi ordenado bispo e permaneceu no cargo até ano passado.

Ele foi o quinto bispo da diocese de Dourados e assumiu o cargo ocupado por Dom Alberto Först, que renunciou em dezembro de 2001 e voltou para a Alemanha, onde morreu há dois anos.

O atual bispo da diocese é Dom Henrique Aparecido de Lima, primeiro negro a assumir o cargo. O velório de Redovino Rizzardo ocorre na Catedral Imaculada Conceição.

Polêmica – Redovino Rizzardo ficou conhecido pelo trabalho social que desenvolveu em Dourados e por defender a demarcação de terras dos povos indígenas.

No ano passado, ele se envolveu em uma polêmica com a deputada estadual Mara Caseiro (PTdoB), após afirmar que a CPI do Cimi acabaria em pizza.

“À primeira vista podemos dizer que a CPI é fruto de preconceito de uma sociedade que não quer deixar o índio sobreviver, mas na prática é bom que haja a CPI, porque através dela vamos saber o que existe de verdade nisso tudo. E para mim não vão encontrar nada”, afirmou ele, na época.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions