A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

01/02/2012 15:44

Ministério Público do Trabalho acompanha situação em curtume de Bataguassu

Nadyenka Castro

Procuradora, perito e auditores foram para o frigorífico e avaliam o caso. Providências serão tomadas após análise de laudos periciais

No velório das vítimas, muita emoção. (Foto: Marlon Ganassin)No velório das vítimas, muita emoção. (Foto: Marlon Ganassin)

O MPT (Ministério Público do Trabalho) acompanha a situação no curtume do frigorífico Marfrig, em Bataguassu, a 335 quilômetros de Campo Grande, onde acidente químico nessa quarta-feira matou quatro pessoas e deixou 24 intoxicadas.

Uma procuradora do Trabalho em Três Lagoas, um técnico em segurança do trabalho e auditores de Campo Grande foram para Bataguassu avaliar a situação.

Somente após a conclusão dos laudos elaborados pelos profissionais técnicos é que o MPT irá tomar providências em relação a empresa.

O acidente aconteceu quando uma caminhão descarregava ácido coramin em um tanque. O ácido reagiu com outro produto que havia no recipiente e exalou gás letal.

Os trabalhadores que morreram estavam no escritório que fica em cima do tanque. Vinte e um funcionários já receberam alta e três continuam internados.

O Marfrig foi multado em R$ 1 milhão pela PMA (Polícia Militar Ambiental) devido ao dano ambiental. A Prefeitura decretou luto de três dias. A Polícia Civil apura se houve falha humana no processo de descarregamento do produto.




Como sempre, quando estas desgraças acontecem, matando inocentes, os (i)responsáveis, sempre com polpudos salários, deixam ambiente com ar condicionado e capuccino, e ocupam espaço na mídia, à custa de sangue dos trabalhadores. Esse MPT deve ter sua função rediscutida.
 
silvio arantes em 01/02/2012 04:06:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions