A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

30/10/2013 23:38

Suspeita de envolvimento em venda de vagas na UFGD se apresenta à polícia

Vinícius Squinelo

A professora aposentada Francisca Cleide Gomes, 61 anos, mãe de Fernanda Figueiredo do Amaral, presa no dia 16 de outubro acusada de envolvimento num suposto esquema de comercialização de vagas na faculdade de Medicina da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), se apresentou na tarde de ontem (29), junto de advogados, ao delegado do SIG (Serviço de Investigações Gerais) da Polícia Civil, Adilson Stiguivitis.

Veja Mais
Integrantes da quadrilha que vendia vagas da UFGD devem se apresentar à polícia
Polícia ouve suspeitos de participar de quadrilha que vendia vagas na UFGD

Durante o depoimento, ela afirmou ser vítima e disse que teria ficado sabendo da possibilidade de ingresso na universidade por vagas remanescentes, através de uma mulher que conheceu num cursinho, na cidade do Rio de Janeiro, onde reside.

Na época, informou a essa pessoa que o sonho da filha era cursar Medicina, mas não conseguia passar no vestibular, conforme informações do site Dourados News.

A mulher então lhe informou sobre um homem, identificado como Ronaldo – e citado nos depoimentos das vítimas – que explicou a Francisca como funcionava o procedimento e os custos que teria que arcar, com depósitos destinados a uma conta corrente para outro indivíduo, de nome César.

Ainda conforme seu depoimento, ao saber de pessoas com a intenção de cursar a faculdade, fazia a indicação.

Apesar da negativa de envolvimento no caso, Francisca foi autuada pelo crime de estelionato e associação criminosa, os mesmos de sua filha. Por não estar em situação de flagrante, ela responderá pelo processo em liberdade.

Em contato com o Dourados News, o delegado Adilson Stiguivitis afirmou que existe a possibilidade de outra pessoa envolvida no caso se apresentar nos próximos dias. Uma das contas bancárias utilizadas no esquema foi bloqueada pela Justiça.

Segundo as investigações a prática funcionava como golpe, onde os possíveis postos na universidade eram comercializados, mas as pessoas não conseguiam adentrar ao curso.

Integrantes da quadrilha que vendia vagas da UFGD devem se apresentar à polícia
Mais dois integrantes da quadrilha, que vendia supostas vagas de medicina da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), se apresentarão e presta...
Polícia ouve suspeitos de participar de quadrilha que vendia vagas na UFGD
Os envolvidos na suposta venda de vagas para o curso de medicina na UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) já foram ouvidos pelo delegado do ...
Em nota, UFGD nega compra de vagas e alega falta de ‘ociosidade’
A Universidade Federal da Grande Dourados, divulgou no final da tarde desta terça-feira (15), uma nota de esclarecimento, a respeito de ocorrência re...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions