A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 01 de Outubro de 2016

19/02/2016 17:39

Após demissões e falta de pagamento, Casa de Carne fecha todas as unidades

Mariana Rodrigues
Uma das poucas unidades que ainda estava atendendo, na Mascarenhas de Moraes, agora está com as portas fechadas. (Foto: Fernando Antunes)Uma das poucas unidades que ainda estava atendendo, na Mascarenhas de Moraes, agora está com as portas fechadas. (Foto: Fernando Antunes)

Após apresentar problemas para homologar rescisões de trabalhadores que foram demitidos no fim do ano passado, a Casa de Carnes Regional fechou as portas das últimas quatro unidades que restavam em Campo Grande, segundo o SECCG (Sindicato dos Empregados no Comércio de Campo Grande).

Veja Mais
Após dois meses, casa de carnes paga parte da rescisão de demitidos
Casa de Carnes fecha 5 unidades e demite sem pagar 13° e rescisões

Em uma das poucas unidades que ainda estava em funcionamento, localizada na Avenida Mascarenhas de Moraes, a agora há uma faixa informando que em breve uma nova casa de carnes irá atender no local. No site do estabelecimento há apenas quatro endereços onde ainda era possível encontrar o empreendimento, porém nenhum dos telefones informados atende as ligações.

Ao todo, foram 20 funcionários demitidos que não receberam suas rescisões. Nesse período cinco lojas haviam sido fechadas e os colaboradores que ainda estavam trabalhando, reclamavam da falta de pagamento referente ao mês de dezembro e do 13° salário.

No começo deste mês, a empresa pagou parte da rescisão destes trabalhadores em dinheiro e o restante vai ser pago mediante ação judicial, com isso os funcionários puderam requerer o direito de retirar o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e seguro-desemprego.

Na época, o presidente do Sindicato do Comércio, Idelmar da Mota Lima, informou que acionou a assessoria jurídica para entrar com ação em favor dos trabalhadores. "A intenção da empresa é chegar a um acordo de parcelamento de pagamento dos direitos dos empregados. O parcelamento só é possível por intermédio de acordo judicial e não por intermédio direto do sindicato".

Hoje (19), o sindicato informou que fechou acordo com representantes da Casa de Carnes e por meio do departamento jurídico, garantiu a esses empregados o direito ao FGTS e seguro-desemprego. "A previsão é que em 30 dias esses trabalhadores consigam receber seus benefícios", afirma o diretor de Comunicação do Sindicato, André Luiz da Silva Garcia.

O advogado Cláudio Guimarães explica que, quando a demissão é realizada sem a culpa do empregado e a empresa deixa de homologar e de pagar as verbas rescisórias, causando prejuízos ao empregado, é caso de ação trabalhista com pedido de tutela antecipada para o saque do FGTS e habilitação no seguro-desemprego.

Outras lojas - O mesmo aconteceu com a loja Luigi Bertolli, que funcionava no Shopping Bosque dos Ipês e fechou às portas no dia 4 de janeiro deste ano, conforme noticiado pele Campo Grande News.

Somente hoje, mais de um mês após o fechamento, a loja efetuou a rescisão dos 12 funcionários demitidos com o encerramento das atividades da unidade em Campo Grande. Após um acordo judicial esses funcionários conseguiram homologar suas rescisões e com isso terão direito ao FGTS e seguro-desemprego.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions