A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 28 de Setembro de 2016

18/05/2016 13:37

Em um ano, 2.800 profissionais com qualificação foram demitidos em MS

Renata Volpe Haddad
Mariana é formada em relações públicas, tem pós-graduação em gestão empresarial e está desempregada há 5 meses. Agora, além de estudar integralmente para concurso, trabalha como dog walker junto com uma amiga. (Foto: Reprodução)Mariana é formada em relações públicas, tem pós-graduação em gestão empresarial e está desempregada há 5 meses. Agora, além de estudar integralmente para concurso, trabalha como dog walker junto com uma amiga. (Foto: Reprodução)

Mariana Estrada de 31 anos é formada em Relações Públicas e tem pós-graduação em gestão empresarial. Ela está há cinco meses desempregada e se enquadra  em um grupo que está crescendo, o de demissões sem justa causa de profissionais com qualificação. 

Veja Mais
Preocupadas com demissões, contratadas via Omep e Seleta procuram MPE
Após demissões e falta de pagamento, Casa de Carne fecha todas as unidades

Segundo pesquisa da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) de março de 2015 até março deste ano, houve 2.883 demissões sem justa causa de profissionais com maior qualificação no Estado, aumento de 30% em um ano.

Com este cenário, Mariana comenta que trabalhou dois anos em uma empresa de grande porte e foi demitida quando a gerência foi trocada. "Eu saí de férias e ao retornar, notei que o salário havia abaixado muito e como não havia compatibilidade com o novo gerente, acabei saindo", afirma.

Mariana sempre estudou para concursos e agora aproveita o tempo livre para se dedicar integralmente aos estudos. "Também comecei a trabalhar como dog walker junto com uma amiga e faço isso mais por ocupação do que realmente por questões financeiras e também presto consultoria para alguns colegas".

Ela conta que não tem interesse em empregos da iniciativa privada devido a instabilidade. "Nestes cinco meses que estou desempregada, fiz duas entrevistas mas não aceitei porque eu praticamente teria que pagar para trabalhar".

Pesquisa – No Brasil, nos doze meses encerrados em março de 2016, o número de demissões avançou 10,8% entre os trabalhadores com nível superior contra uma variação de -7,0% na média do mercado de trabalho.

Nesse período, foram demitidos 1,01 milhão de trabalhadores nessas condições contra 915 mil no mesmo período do ano anterior. Os trabalhadores mais qualificados continuam sendo, portanto, o único subgrupo dentre todos os graus de qualificação onde ainda há intensificação de demissões.

Perfil - Ainda conforme a pesquisa, o perfil destes trabalhadores qualificados mais afetados pela retração econômica não aponta para uma predominância significativa de gênero, uma vez que 49,4% das demissões nessas condições, atingiram trabalhadores do sexo masculino. Já o corte segundo faixas etárias revela que 39,7% dos demitidos se possuíam entre 30 e 39 anos. Na média do mercado, profissionais dessa faixa etária respondem por 30% das ocupações.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions