A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 24 de Setembro de 2016

11/03/2015 15:21

Estado destina R$ 800 milhões para investimentos em micro e pequenos negócios

Liana Feitosa
Para governador, FCO ajuda a driblar crise na economia. (Foto: Marcos Ermínio)Para governador, FCO ajuda a driblar crise na economia. (Foto: Marcos Ermínio)

Mato Grosso do Sul terá R$ 1,3 bilhões para investir no setor empresarial e de agronegócios em 2015, recursos disponibilizados pelo FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste). Desse montante, 60% será destinado a micro e pequenos negócios, segundo Jaime Verruck, titular da Semade (Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico).

Veja Mais
Azambuja promete investimentos e plano estratégico para logística e transporte
Governador empossa conselheiros do FCO e analisa investimentos para MS

Segundo o Banco do Brasil, que operacionaliza os financiamentos, o total previsto para o Estado é de R$ 1.386 bilhão em 2015, sendo metade para cada segmento: rural e empresarial. No entanto, a quantia pode aumentar.

Quando os demais estados não utilizam o total oferecido, outras regiões podem conquistar parte do montante excedente e redistribuir em seu Estado. Por isso, de R$ 1,1 bi oferecidos em 2014, MS fechou o ano com R$ 1,4 bilhão investidos.

Distribuição - Portanto, o cenário foi o seguinte: segmento rural contratou R$ 853 milhões e, o setor empresarial, R$ 552 milhões, totalizando R$ 1,4 bilhão em 2014.

O fundo é oferecido a todo o Centro-Oeste e, Mato Grosso do Sul, neste ano, ficou com 23% da fatia, volume que tem crescido ao longo dos anos. No ano passado, foram disponibilizados R$ 1,1 bi para investimentos, sendo que 63% do montante foi direcionado ao agronegócio e, 37%, ao setor empresarial, que inclui comércio e serviços.

A taxa de juros do FCO rural não sofreu modificações, mas a taxa do fundo empresarial aumento neste ano, de 2% a 4%, dependendo do porte da empresa e da finalidade do investimento. "Apesar disso, essa linha de crédito é muito competitiva, não existem outras como essa, vale muito a pena", garante Verruck. 

Caminhos - Para fazer com que o Estado use 100% dos recursos oferecidos, sem precisar realizar repasses do montante excedente a outros estados, seis estratégias foram fixadas, segundo Verruck.

Seis estratégias foram fixadas para a utilização de 100% dos recursos, segundo Verruck. (Foto: Marcos Ermínio)Seis estratégias foram fixadas para a utilização de 100% dos recursos, segundo Verruck. (Foto: Marcos Ermínio)

"Vamos fomentar a contratação do FCO empresarial, realizar caravanas de divulgação do fundo no interior do Estado, acelerar os processos de análise dos pedidos de contratação do fundo, monitorar quantos pedidos de verba foram finalizados nos bancos e fechar parcerias com entidades dos setores empresariais", detalha.

Segundo o superintendente do BB (Banco do Brasil) em Mato Grosso do Sul, Marco Túlio Moraes, o banco é responsável por 54% de todos os recursos aplicados no Estado. Para isso, 84% das operações do fundo foram liberadas em até 30 dias, demonstrando agilidade na concessão de recursos, segundo o representante.

Crescimento - Para o governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), o FCO oferece oportunidades em um cenário de incertezas. "É no momento da crise que precisamos dos investimentos para fazer a economia crescer. É na dificuldade que temos que nos juntar para achar soluções conjuntas. Por isso, precisamos de ações para que esses recursos cheguem para quem realmente quer crescer e tenho certeza de que o FCO é um caminho sólido para isso", considerou o gestor na ocasião.

"Ao longo dos anos tivemos aumento do investimento do FCO em nosso Estado porque temos potencial para crescer, Mato Grosso do Sul é um Estado de oportunidades", finalizou.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions