A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

02/07/2015 15:34

Laranja e tomate ficam mais baratos e derrubam preço da cesta básica

Renata Volpe Haddad
Seguido da laranja, preço do tomate também teve queda de 7,57% em junho. (Foto: Marcos Ermínio)Seguido da laranja, preço do tomate também teve queda de 7,57% em junho. (Foto: Marcos Ermínio)

A queda nos preços da laranja e do tomate contribuiu para que o valor da Cesta Básica de Campo Grande apresentasse retração de 0,91% em junho, passando de R$ 354,41 valor referente ao mês de maio, para R$ 351,20. O levantamento é feito mensalmente pela Semade (Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico) e divulgada pelo Governo do Estado.

Veja Mais
Com tomate e banana mais caros, cesta básica sobe 4,62% e custa R$ 363
Puxada pela batata e cebola, cesta básica tem alta de 1,3%

Dentre os 15 produtos pesquisados mensalmente, oito apresentaram queda nos preços, sendo a laranja com redução de 8,66%, seguido do tomate que esteve 7,57% mais barato e alface, com queda de 3,44%. Feijão, banana, açúcar e macarrão, também apresentaram redução de preço.

O período da safra contribuiu para que o preço da laranja caísse, aumentando o estoque do produto no mercado interno, além do baixo consumo da fruta, já que as temperaturas estão mais amenas na Capital. O que justifica a queda no preço do tomate, é o início da colheita da nova safra, aumentando assim o volume de estoques.

A batata apresentou aumento de 8,24% e a carne bovina, 2,37%, seguido do arroz, com alta de 2,31%, sal 2,22% e leite que teve um leve aumento no preço de 0,87%. Já o pão francês e a margarina, não apresentaram variação.

Elevação – No caso da batata, o aumento foi devido a baixa oferta no mercado nacional ocasionada pela falta de chuva no período do plantio e perdas na safra passada. A justificativa para o aumento de preço da carne bovina é que o abate está restrito por parte dos frigoríficos e uma menor oferta de carne no mercado varejista elevaram o preço do produto.

Conforme a Semade, em junho ficou concluído que o trabalhador que recebe um salário mínimo de R$ 788 comprometeu 44,57% do salário para aquisição da Cesta Básica, e em maio, esse índice ficou em 44,98%.

A Cesta Básica Alimentar de Campo Grande consiste no conjunto de quinze produtos em quantidades consideradas suficientes para suprir as necessidades de uma pessoa no período de um mês, objetivando mostrar o poder de compra do assalariado.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions