A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 29 de Setembro de 2016

30/10/2015 14:58

Sem Dilma, Fibria lança obra para mais que dobrar produção de celulose

Mariana Rodrigues e Renata Volpe Haddad, enviada especial a Três Lagoas
Com a extensão do projeto, sua produção anual saltará de 1,3 milhões tonelada para mais de 3,05 milhões de toneladas. (Foto: Gerson Walber)Com a extensão do projeto, sua produção anual saltará de 1,3 milhões tonelada para mais de 3,05 milhões de toneladas. (Foto: Gerson Walber)

Sem a participação da presidente Dilma Rousseff (PT) que cancelou sua vinda para Mato Grosso do Sul após sua mãe passar mal, e iniciado com mais de uma hora de atraso, a Fibria lançou hoje (30), a pedra fundamental do Projeto Horizonte 2 em Três Lagoas, distante a 338 quilômetros de Campo Grande. Com a extensão do projeto, sua produção anual saltará de 1,3 milhões tonelada para mais de 3,05 milhões de toneladas.

Veja Mais
Esquema de segurança da presidente Dilma envolve mais de 250 homens
Fibria apresenta projeto de US$ 2,5 bilhões a investidores nacionais

De acordo com o presidente da Fibria, Marcelo Castelli, para o projeto Horizonte 2 serão investidos R$ 7,7 bilhões e isso é um dos maiores investimentos privados do País. Sendo gerados 40 mil empregos diretos e indiretos, desse total 70% serão locais ou regionais e em torno de 60 empresas de Três Lagoas prestarão serviços para o empreendimento.

"Desses R$ 7,7 bi, a previsão é de que 40% dos investimentos seja de caixa próprio, esse valor pode ser maior ou menor, vai depender do decorrer das obras. O restante será do BNDES, Sudeco e outros financiamentos de mercado, pois parte dos equipamentos tem que vir de fora, pois 76% dos investimentos vem da base nacional que vai investir em Reais, pois o Brasil não produz esses equipamentos" , explica.

O presidente da Fibria Marcelo Castelli, disse que para o projeto Horizonte 2 serão investidos R$ 7,7 bilhões. (Foto: Gerson Walber)O presidente da Fibria Marcelo Castelli, disse que para o projeto Horizonte 2 serão investidos R$ 7,7 bilhões. (Foto: Gerson Walber)

Do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento), a previsão de financiamento é de R$ 1,7 bilhões. Questionado sobre a atual crise financeira que o país enfrenta, ele acrescenta que o Projeto Horizonte 2 vai continuar com a saúde financeira boa. "Antes de anunciarem o projeto nós pensamos muito e vimos que havia possibilidade de lançar a obra mesmo diante da crise".

Sobre a logística ele diz que se preocupa com com a questão do escoamento e esse será um desafio para Mato Grosso do Sul. "Os governadores não podem fazer muita coisa é necessário um ambiente de negócio mais claro e um retorno de longo prazo. Se precisar a Fibria vai fazer parcerias com outras outras unidades privadas".

A prefeita Marcia Moura (PMDB), disse que com a chegada da Fibria a região ficou mais rentável e lucrativa. "Com a Fibria no município e com o Projeto Horizonte 2 o comércio ficará aquecido, o mercado imobiliário cresce e os produtores começam a buscar propriedades rurais na região para fazer parcerias com a Fibria".

A ministra Kátia Abreu substituiu a presidente Dilma Rousseff. (Foto: Gerson Walber)A ministra Kátia Abreu substituiu a presidente Dilma Rousseff. (Foto: Gerson Walber)
Máquinas começam a trabalhar na ampliação de fábrica (Foto: Gerson Walber)Máquinas começam a trabalhar na ampliação de fábrica (Foto: Gerson Walber)

Substituindo a presidente Dilma Rousseff, a ministra de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu lamentou que a presidente não pudesse ir e se desculpou por ela não poder comparecer em um momento tão importante. Durante o discurso, ela falou que no ano de 2009 começou a história da Fibria, e assim chegou o progresso em Três Lagoas. "O lançamento da pedra fundamental só tem a acrescentar para a região e para o Estado porque o comércio e serviços crescem assim como a arrecadação municipal com isso o empresário investe. O Brasil tem potencial e nossos empresários não se deixam levar pelo que muitos falam para se investir no Brasil".

A senadora Simone Tebet (PMDB), lembrou do lançamento do Horizonte 1 e comentou que o município não tinha expectativa de investimento e o que a Fibria fez ajudou no crescimento de Três Lagoas. "Em 10 anos passamos de 85 mil habitantes para 118 mil, isso é um incremento de 35% da população. O PIB foi de 70%, graças a Fibria outras empresas vieram para Tês Lagoas e se projetaram o que resultou hoje na melhor média salarial do país que é mais de 3,5 salários mínimos", acrescentou.

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB), disse que o Estado precisa ser mais competitivo mesmo em meio a crise, pois esta não será nem a primeira e nem a última. "Precisamos trocar impostos por empregos e precisamos viver em um ambiente descontraído como está sendo o lançamento da pedra fundamental, o Brasil é um país maior que a crise", disse.

Estiveram presentes no evento os deputados federais Dagoberto Nogueira, Elizeu Dionízio, Tereza Cristina, Zeca do PT e Vander Loubet (PT). O senador Waldemir Moka e o desembargador João Maria Lós, presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

Serão gerados 40 mil empregos diretos e indiretos, sendo que desses 70% serão locais ou regionais. (Foto: Gerson Walber)Serão gerados 40 mil empregos diretos e indiretos, sendo que desses 70% serão locais ou regionais. (Foto: Gerson Walber)



Tenho certeza que não fez falta nenhuma... Fora Dilma!
 
Bruno Sodre Duarte em 30/10/2015 18:20:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions