A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

27/05/2013 20:30

Professor que ofendeu gays no Facebook pede demissão da UFMS

Nyelder Rodrigues e Ângela Kempfer
A postagem repercutiu e Kleber a deletou após manifestações contrárias (Foto: Reprodução)A postagem repercutiu e Kleber a deletou após manifestações contrárias (Foto: Reprodução)

O professor universitário substituto, Kleber Kruger, do curso de Ciências da Computação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), pediu demissão do cargo nesta segunda-feira (27).

Veja Mais
UFMS avalia postagem de professor contra "bichonas" e ele pode ser demitido
Professor admite que exagerou contra “gays”, mas diz ser vítima de “heterofobia”

Uma postagem de sexta-feira feita por Kleber na rede social Facebook causou polêmica no domingo, quando passou a ser muito compartilhado na rede e foi tema de matéria da mídia regional e nacional.

“Hoje cheguei na Federal e encontrei algumas paredes dos cursos de computação e engenharia pichadas com frases como: ‘O amor homo é lindo!’, ‘Homosexualismo é lindo!’, ‘Fora machismo!’... aaah! se fuderem seus *viados fila da puta!”, postou o professor ao reclamar das pichações no corredor central do campus da Capital, onde ele faz mestrado. Ele ainda escreveu mais ofensas.

Uma petição virtual, que já conta com 2.149 assinaturas (números até o fechamento da matéria), pedia a demissão de Kleber, alegando que ele mostra-se homofóbico, desequilibrado e inapto paaa exercer função pública, especialmente o cargo de professor.

Além disso, a direção do campus da UFMS em Ponta Porã enviou o material postado no Facebook à reitoria em Campo Grande, para apuração do caso. Ele era professor contratado, por dois anos.

Segundo Kleber, ele pediu demissão para não prejudicar os chefes de departamento dele, além de não causar constrangimento na universidade. Ele estava em Campo Grande quando tudo aconteceu, e retornou nesta segunda à Ponta Porã.

O professor também conta que outro motivo foi que, ao chegar à Ponta Porã, percebeu que a repercussão só aumentava, inclusive nacionalmente. Agora, ele espera que pelo menos possa continuar o mestrado em Campo Grande, e teme que isso o prejudique ainda mais.

Ele reafirmou que a postagem foi infeliz, e que se arrepende muito do ocorrido. “Todos meus amigos, que me conhecem, estão me apoiando”, disse Kleber, acrescentando que não é uma pessoa ruim, nem homofóbico.

Kleber também lembra que a postagem começou a se espalhar depois que uma pessoa que ele mal conhecia compartilhou. “Escrevi como alguém que xinga um juiz numa partida de futebol”, justifica.




Vão ter que engolir !!!! rsrsrs'

Para os homofobicos !
 
Diego de Melo em 03/10/2013 12:27:33
Quanto preconceito gente. Pichação e homossexualidade são coisas distintas. Engraçado, há pichações na UFMS de todos os tipos e orientações sexuais. Estas que o professor menciona, estão lá fazem meses, e coincidentemente o educador reclama uma semana depois do ciclo de palestras sobre a homossexualidade que aconteceu no CCHS. Enfim, todos temos o direito de nos expressar e manifestar ideias contra ou a favor, mas há muitas formas de se dizer, formas estas que não gerem raiva e ódio contra as pessoas. O que ele fez, precisa sim ser penalizado, pois não podemos suavizar nenhum tipo de manifestação homofóbica que possa gerar violência e que atente contra a integridade física de um ser humano, acima de sua sexualidade a sua humanidade, e ninguém pode ser posto a margem disso.
 
Cassio Fernandes em 01/06/2013 20:15:18
Sou aluno da UFMS e acho que ambos estão errados - o prof. Kleber e os gays que picharam os muros da Instituição. Entretanto, acho que os homossexuais não devem se expressar dessa maneira, até por que a pichação é uma forma de agressão também.

 
Jacinto Pinto em 29/05/2013 15:45:30
Criminosos picham a universidade e uma opinião virtual vale mais!!! É óbvio que o professor nao é uma pessoa ruim e nem homofóbica
 
Amós Maestro em 29/05/2013 08:45:19
A universidade não abrirá nenhum procedimento administrativo para investigar os autores da pichação. Vandalismo, depredação do patrimônio público pode acontecer normalmente, mas expressar a opinião é crime, principalmente se é contrária aos homossexuais.
.
 
Fernando Henrique em 29/05/2013 08:40:57
O professor somente usou as palavras erradas para se expressar...
Essas frases já fizeram aniversário naqueles corredores e a primeira vez que as vi também me senti agredido. são um verdadeiro show de heterofobia.
Mas heterofobia poodeeeeee.
 
Marcelo Ricardo em 29/05/2013 00:58:57
Acho que existem excessos de ambos os lados, mas os heterossexuais não imaginam o que é o sofrimento de um homossexual até ele chegar a dizer quem ele é, isso quando consegue. Sofremos muito desde que somos crianças, justamente a fase em que o ser humano mais precisa integrar-se a um grupo. Vivemos os primeiros anos escondidos da família e amigos, pois eles não sabem quem somos. A maciça maioria casa-se com mulheres. O debate da questão no Brasil é muito superficial porque é tratada pelos próprios gays de forma festiva. Depois de mais velhos, calejados, desistimos do convívio social e nos enfurnamos nos guetos, porque, na prática, o preconceito é geral, mesmo em cidades grandes.O preconceito só pode ser eliminado com informação, com educação.Neste momento muitas crianças sofrem em silêncio
 
henrique dias em 28/05/2013 21:27:22
A polícia está fazendo um trabalho na capital para identificar pichadores, e nessa instituição pública, como fica? Ninguém vai investigar os pichadores, e serem punidos? Esse é o lugar onde eles estudam, e tudo é mantido com dinheiro público , já não pagam nada e ainda destroem o patrimônio público, acho que tem que ser identificados e pagarem pelo crime que cometeram, afinal pichação é crime, e o sr Reitor não vai tomar nenhuma atitude? Garanto que quem fez as pichações não é nenhum pobrezinho, e sim filinho de papai, a maioria dos homossexuais são da alta sociedade, e ninguém fala nada, para eles é tudo NORMAL, quando é pobre é espancado na rua.
 
helena da costa andrade em 28/05/2013 21:04:51
Agora tudo que nós não achamos normal, discordamos ou não gostamos, é ser preconceituoso, careta, quadrado, invejoso, racista, homofóbico, entre outras denominações pouco honrosas...


Parabéns ao politicamente correto, que está conseguindo alcançar todos os seus objetivos, que seriam : alienar a massa, fazendo-a ter uma opinião padronizada, perdendo a capacidade de questionar tudo que é proposto, e principalmente, fazer todos aceitarem ideias e propostas que fogem a todos os valores morais, éticos e pessoais, sem questionar, por medo de parecer "politicamente incorreto" e "antiquado".
 
Luciano M.de Almeida em 28/05/2013 19:50:58
não vou dizer que apoio o que ele fez, mas defender homosexual e índio tá virando moda nesse país...e quem pichou as paredes da Universidade deve ter sido um desses aí todo "felizinho"...ai quando a pessoa se revolta e solta o verbo... sai prejudicado como foi o caso do professor em questão...vai dar tudo certo professor!! Deus é mais...tenha fé!!!
 
Maria Adelaide em 28/05/2013 16:48:43
Pichar pode ?
Dar opinião não ?
Palhaçada
 
Silvia Ribeiro de Brito Brasil em 28/05/2013 16:39:56
Ambos errados, com certeza. Ódio só produz ódio. Maldito círculo vicioso, capaz de transformar as pessoas mais calmas e centradas. Triste!!!
 
Luiz Augusto Rodrigues em 28/05/2013 16:24:34
sou mto solidário ao pensamento do professor + usou mau suas palavras deveria ter expressado sua opniao d forma menos agressiva ,
Infelizmente hoje em dia o homossexualismo esta buscando seu espaço e isto assim como o direito das mulheres antigamente varias outras coisas ,tenho vários amigos homossexual sempre os respeitei mais hje esta de uma forma que a mídia envolve e eles querem esfregar na sua cara que são gays e querem que você aceita isso como uma coisa normal , infelizmente não é normal e nunca vai ser , a família é constituída por Pai (HOMEM ) Mãe ( Mulher ) não existe outra forma de existir e formar família mais tudo é adaptável não que não vá existir amor entre dois homens e duas mulheres podem existir sim mais cada um respeite o espaço do outro,não precisa d pichação
 
Luiz Rodrigo Moraes em 28/05/2013 16:23:59
Como a expressão "foi apenas um mal entendido" ficou banalizada e tem o poder de corrigir tudo. A vida não tem "undo". É falar escrever e assumir as consequências.
 
Jamerson Júnior em 28/05/2013 15:31:08
Eu não sabia que professor da UFMS recebia direitos de imagem... achei que isso era apenas coisa dos esporte, onde o atleta vende sua imagem para uma marca ou produto e a partir de então tem suas ações (inclusive vida particular) definidas por contrato. Mas ele recebe por isso e não é pouco...
Agora isso de vida pessoal de professor ser balizada por estatuto de entidade é uma novidade...
 
João Santos em 28/05/2013 15:18:44
É realmente um absurdo. O ativismo gay, a apologia ao homossexualismo está exagerada e ninguém pode ter opinião contrária. A ditadura gay está se fortalecendo cada vez mais e nem coragem de defender sua opinião se tem mais. E olha que em conversas informais, ninguém é favorável a isso, ou seja a sociedade de maneira geral é contra o ativismo gay, mas tem medo de se posicionar e a gente tem que engolir esse tipo de coisa. A sociedade está ficando refém disso. A impressão que se tem é que parece que é proibido ser macho ou fêmea e quem defende o direito de sê-lo é acusado de homofobia. Realmente é uma inversão de valores. A sociedade precisa reagir, não pode aceitar esse tipo de coisa. Todos precisam ter seus direitos respeitados, gay e não gay.
 
Aladio da Silva Paula em 28/05/2013 14:56:43
Pra ser sincero também não gosto dessa apologia que a mídia vem fazendo ao universo homossexual, também acho que deveriam pôr uma barreira nisso, não adianta...a sociedade jamais irá aceitar 100% as práticas homoafetivas, e isso pode acabar sendo perigoso para os próprios gays, pois vai gerar conflitos ainda maiores por parte daqueles que não os aceitam, e aí crimes contra homossexuais poderão se tornar cada vez mais comuns, mais do que já são, exemplo disso: era a época quando os gays não se assumiam,não se mostravam tanto como hoje em dia, raramente se ouvia falar em crimes homofóbicos,era bem melhor assim...eu acho que a mídia, emissoras de televisão e a política deveriam estar se preocupando com outros valores que o Brasil necessita mais, como saúde, educação, segurança e tantos outros
 
Willer Dias em 28/05/2013 14:47:27
QUEM QUER SER RESPEITADO, 1º TEM QUE RESPEITAR !
CRIADO 3º SEXO PELO S.T.F., QUANDO AFRONTOU A CONSTITUIÇÃO NO ARTIGO 226, PARÁGRAFOS 3º E 5º. (TÃO SE ACHANDO)
Art. 226. A família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado.
§ 1º - O casamento é civil e gratuita a celebração.
§ 2º - O casamento religioso tem efeito civil, nos termos da lei.
§ 3º - Para efeito da proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher como entidade familiar, devendo a lei facilitar sua conversão em casamento. (Regulamento)
§ 4º - Entende-se, também, como entidade familiar a comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes.
§ 5º - Os direitos e deveres referentes à sociedade conjugal são exercidos igualmente pelo homem e pela mulher.
 
FRANCISCO CARLOS ANONI em 28/05/2013 14:31:56
Atualmente so existe liberdade de expressão até o ponto que você concorde com as ideias dos outros não podemos ter nossas próprias opiniões...temos que ouvir e concordar com tudo...as pessoas andam cheias de direitos e se esqueceram totalmente dos deveres. Não estou defendendo ato do professor... mas sair destruindo o patrimônio publico também não dá né?!!!! Assim como querem respeito e aceitação também tem que aprender a respeitar e aceitar!!!!
 
Suellen Silva em 28/05/2013 14:22:07
penso que o professor nao deveria pedir demissão e encarar de peito aberto. Tudo bem que ele exagerou, escreveu palavras ofensivas, contudo apenas desabafou contra o movimento gay que ultimamente tenta impor e obrigar as pessoas a pensar como eles pensam. Eu também não tenho nada contra gay, mas quando a coisa vira vandalismo, como pichação, provocação, ninguém aguenta. Apoio o professor.
 
marcos peres em 28/05/2013 14:16:53
Ué... Eu sou gay e não pichei esse muro e me senti muito ofendido com o "discurso" do professor. Porque a culpa tem que ser minha, ou dos "gays"? Se a pichação foi feita por gays, foi somente por alguns poucos... Não sei, quantas pessoas são necessárias para pichar um muro?

Daí o professor generaliza, ofende, promove violência verbal e defende a física. Como posso achar atitude dele correta? Ele generaliza e está falando a verdade? Ou está atendendo os interesses homofóbicos de vocês que o defendem?
 
Diego Acosta em 28/05/2013 14:05:40
Está errado pichar e existe punição para quem faz isso.. O professor tem direito de não gostar de homossexuais, mas não tem o direito de ofender e xingar, pois também existe punição para isso. Meus Deus, quanto ódio, quanto preconceito, que cara grosso ... A pichação é um dano material ao patrimônio público que pode ser reparada com dinheiro, porém a homofobia e o preconceito é um crime de ofensa Pior pra ele, né??? isso acabou com a imagem dele e ele ainda foi obrigado a se demitir, sem falar no processo que vai enfrentar ... . Bem feito
 
Ana Torres em 28/05/2013 13:39:37
Sou estudante de UFMS e assim como o professor Kleber fico indignado com as pichações em nossa universidade , não tenho nada contra os homossexuais , tenho muitos amigos que são gays , mas este caso não se trata de opção sexual e sim de polícia , o caso das pichações deveriam ser investigadas e os vândalos expulsos da UFMS e obrigados a reparar os danos. Acho que o prof. Kleber foi infeliz na sua declaração ao usar palavras erradas , mas sou solidário em sua indignação .
 
Loivo Knapp de Almeida em 28/05/2013 13:24:06
(Continuação) ... devem esta “curtindo” em conseguir tirar do “sério” um seleto professor...e sim, aos acadêmicos, futuros profissionais “dos cursos formadores de bichonas” que buscam o conhecimento nas áreas escolhidas, para serem profissionais graduados e não para serem heteros ou homossexuais.
“ existe pessoas que passam pela floresta e só vê lenha para queimar outros a possibilidade de criar pontes para unir os povos...” como mestrando que é, #ficaadica# para a sua tese.
 
Sheila Cortes em 28/05/2013 13:22:35
Agradeço por esse professor não ter uma arma nas mãos em seu momento de “fúria”... pois se tivesse teria entrado no corredor do “curso formadores de bichonas” atirando em todos por manterem as suas paredes limpas... mas, assim como uma arma... no uso da palavra livre, ter sido tão infeliz na sua liberdade de expressão contra a ação dos vândalos “ homossexuais” que picharam as paredes da instituição. Esses vândalos são homossexuais? Não sei, mas tenho a certeza que são pessoas, mal educadas, ignorantes, como qualquer outra, que não respeitam ao próximo, ao bem público ou privado, independente da sua opção sexual ou do curso a qual pertencem na universidade que estudam. Ele “professor” não ofendeu os homossexuais e nem atingiu os vândalos, que com certeza ... (continua)
 
Sheila Cortes em 28/05/2013 13:22:01
Artigo 5º da CF;
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
V - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem;
Então que o ofendido saia de dentro do armário e do anonimato, faça valer o seu direito de resposta e uma possível ação de danos...agora fazerem um petição virtual com 2.000 assinaturas de pessoas que não tem nada a ver com a situação, não é ofendido nem ofensor é muita hipocrisia... ou se é, aparece também e faça valer seu direito...Brasil mostra tua cara !!!!
 
Alisson Fernando em 28/05/2013 13:03:22
Pichar pode porque eles são gays, inclusive eles podem tudo afinal são gays e por serem gays eles são "minoria" e daí por causa desse "sofrimento" que eles já tiveram eles podem fazer o que quiserem. Inclusive se você chegar a PENSAR algo ruim deles você é um homofôbico desprezivel e doente.

É... VIU ONDE CHEGAMOS. Ficam dando liberdade pra um grupo (nada contra o fato mas sim às atitudes) e depois quando esse grupo comete excessos ninguém pode fala A VERDADE que é taxado de "criminoso".

 
RICARDO BRANDÃO em 28/05/2013 12:39:26
E pichar pode ?
 
Lizeti Aparecida Zanineli em 28/05/2013 12:01:02
E os caras que depredaram o patrimônio público acham que tão com a razão. O mundo tá cada vez mais hipócrita com essas história de "todos tem direito ao amor", mas esse "direito" ultrapassa limites e ninguém pode reclamar, se não é taxado de homofóbico. Indignante!
 
Gabriela de Oliveira em 28/05/2013 10:30:16
Alguém tem que pagar por falar a verdade.... nesse caso o professor que vai pagar.
 
Bruno Pavarine em 28/05/2013 10:27:06
Realmente os limites estão ficando estranhos..concordo com o Ailton... opção sexual não dever ser discutida em público.
 
Magda Correa em 28/05/2013 09:43:40
A reação ao ocorrido é o que está sendo questionado. Mas, imaginem, se você defende uma ideologia, seja qual for, o capitalismo por exemplo, aí vem um comunista e picha sua sala toda escrevendo "Viva o comunismo", "comunismo é lindo", você não ficaria com raiva? O professor proferiu palavras erradas, mas ele estava em um momento de raiva. Ele estava quieto em seu canto e uma pessoa defensora desse movimento GLBT pichou sua sala, mostrando total falta de educação e total desrespeito pelo patrimônio público, que inclusive essa pessoa mesmo paga por isso. Homossexual ou não, a pessoa que fez isso é imbecil. Para a maioria, uma pessoa ser gay ou não, não é o que incomoda. O que incomoda é esse tipo de ato ridículo que aconteceu na sala do professor. E ainda atrapalhou seu próprio movimento.
 
Paulo Miranda em 28/05/2013 09:33:34
Infelizmente ... errados estão os dois lados!
Um por externalizar a revolta de forma preconceituosa e outros por não respeitarem o patrimônio público e se utilizarem de vandalismo para defender uma opção que nem deveria estar sendo discutida... As pessoas estão se esquecendo que a intimidade deve ser guardada no "intimo" e não exposta ao público ou imposta àqueles que não compartilham do mesmo desejo.
 
Magda Correa em 28/05/2013 09:33:19
Perdi um Professor que sempre realizou seu trabalho de forma integra e responsável,sem nada de homofobia , pelo simples fato de expor um comentário em rede social.(exagerado sim e com as palavras erradas,mais acaba com a carreira dele,nao é justo).
e a UFMS sera que vai perde um aluno pelo ato de VANDALISMO e infringir a lei Por PICHAR as paredes da instituição ??
#indignação
 
Marisa Napoleão em 28/05/2013 09:16:49
E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.
Gênesis 1:27-28

Infelizmente a humanidade está deixando cada vez mais de lado os princípios cristãos. E vamos vivendo assim sem princípios, sem valores......
 
Tiago Santos em 28/05/2013 08:57:08
que absurdo! quantas vezes ouvi falar, ou piadinhas, ou qualquer coisa que seje sobre: loiras, gordos e negros e nunca deu tanta repercursão igual está dando quando se trata de homosexuais... onde o mundo vai parar com tantas pessoas hipocritas, que perde tempo de preocupando com a opinião dos outros... se o cara não curte homosexuais é um direito dele, como também é direito dos homosexuais terem sua opção; a população tem que entender que esse assunto para uns é novo e fere a educação que a mesma possuiu, que é cultural esse tipo de pré-conceito; cada um faz o que quer.... todos tem os mesmos direitos de expressão, seja a favor ou contra...
 
Gessica Medeiros Costa em 28/05/2013 08:39:31
cada um tem um jeito de se expressar sim mas não devemos deixar que isso prejudique outros principalmente sendo uma pessoa publica que diariamente tem contato com varias pessoas o caso deve ser visto com atenção e que isso sirva de exemplo para os demais educadores já que eles devem nos dar auxilio independente cor sexo ou religião um abraço aos profissionais
 
arnaldo cezar f dutra em 28/05/2013 08:25:10
Cuidado!!!!!
Tudo o que falamos ou escrevemos pode ser usado contra nós mesmo...
Por isso me mantenho de ficar caladoooo....só falo no tribunal
 
Wal costa em 28/05/2013 07:45:11
Quem perdeu? Os alunos perderam certamente. O professor não deveria pedir demissão. É um profissional capacitado. Agora todos vão procurar com a lanterna acesa outro professor de ciências da computação para ocupar o seu lugar. Essa questão de manifestação de pensamento, tanto os do lado gay como os do outro lado, precisam entender que vivemos num país onde sua Constituição garante essa liberdade " Art. 5º, inciso IV da CF". Pichações ou outras expressões mais contundentes, são questões afetas ao juiz, que é a autoridade para condenar ou absolver autores de tais atos.
 
ademir gomes em 28/05/2013 07:16:08
Onde está a liberdade de expressão? Quer dizer que os autores daquelas frases a favor do homossexualismo podem querer se expressar, mas o professor não? O direito dele e da maioria da sociedade, que não aceita o homossexualismo, de poderem também se expressar, deixou de ser garantido? O que foi escrito pelo professor foi postado numa página pessoal, onde, para ele, somente seus "amigos" teriam acesso. O responsável por divulgar a postagem para outras pessoas é quem deveria arcar com as responsabilidades. Por que os autores das frases pró-homossexualismo não se identificaram, assim como o professor? A Reitoria deveria, além de apurar a conduta do professor, apurar também os autores das frases escritas nas paredes da UFMS, a fim de atribuir as devidas responsabilidades pelo vandalismo.
 
Marcio Santos em 27/05/2013 23:51:01
Não estou sendo a favor de um ou de outro, mas acho que cada um deveria ficar na sua: o professor não deveria ter dito no facebook, mas quem escreveu aquilo na parede também deveria ser punido.
Já imaginou como seria a situação se alguém tivesse pichado "Amor hétero é Lindo" aposto também que a sociedade estaria caindo de pau em quem escreveu. (então pensem se o lado Homo se o fende, quem vai acontecer quando o lado hétero se ofender) vai ser guerra?

acredito que cada um deve ser o que quiser somente não fique esfregando na cara dos outros.
 
Ailton Januário Branco em 27/05/2013 21:52:47
Tudo bem! mas e as pessoas que picharam as paredes e muros de uma edificação que é pública? Qual vai ser a postura para identificar e punir esses "malacos", sinceramente virou piada a inversão de valores neste país!!
 
Carlos Irineu Gonzales em 27/05/2013 21:09:07
e os pichadores vao continuar pichando?deveriam ser punidos,patrimonio publico depedrado custa dinheiro do povo depois.
 
marta lopes silva em 27/05/2013 20:58:40
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.