A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

06/04/2015 16:41

Governador lança projeto sustentável que deve beneficiar 1.650 catadores em MS

Mariana Rodrigues e Kleber Clajus
O projeto irá beneficiar cinco municípios de MS(Foto: Marcelo Calazans)O projeto irá beneficiar cinco municípios de MS(Foto: Marcelo Calazans)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB), lançou hoje (6) o "MS Sustentável", projeto que deve beneficiar diretamente 1.650 catadores de materiais recicláveis que atuam em lixões e nas ruas. O projeto que vai ser instalado em cinco municípios, visa promover a melhoria das condições de vida, trabalho, renda e acesso aos serviços públicos, através da organização e inclusão sócio produtiva e fomento aos empreendimentos econômicos solidários e redes de cooperação.

Veja Mais
Governador lança projeto para catadores de materiais recicláveis
Curso de cooperativismo para catadores começa hoje em Campo Grande

O MS Sustentável deve receber investimentos do MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), por meio da Senaes no valor de R$ 5,2 milhões e de contrapartida, o Governo do Estado e Funtrab, concederam R$ 263 mil. Os municípios beneficiados são Corumbá, Campo Grande, Ponta Porã, Três Lagoas e Dourados, que é o que se encontra em fase mais avançada.

De acordo com o diretor presidente da Funtrab (Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul), Wilton Acosta, proposta é realizar um diagnóstico sobre a situação dos catadores da rua e lixões, e mobilizar aqueles que ainda não estão cooperando para capacitação sócio ambiental e geração de renda. "O projeto prevê a capacitação e o investimento, coleta e processamento e comércio dos materiais recicláveis. Partimos do princípio que ficará a cargo da Funtrab gerir o processo", disse.

A empresa Demeter será a responsável pelo trabalho de campo, onde será possível identificar quem são os catadores e disponibilizar ao município um banco de dados.

Segundo o presidente do Fórum Municipal de Lixo e Cidadania, a proposta é de uma política que torne visíveis os trabalhadores de forma social e economicamente , e ressaltou que só em Campo Grande, hoje haveria matéria prima para 1,5 mil catadores.

Dados de 2014 apontam que os resíduos produzidos em Mato Grosso do Sul, chegam a 828,6 tonelada ao dia, sendo que 34,90% desse volume corresponde a materiais secos (289,2 toneladas) e 65,10% são resíduos úmidos (539,4 toneladas).

O governador classificou os catadores como "agentes do meio ambiente". O tucano disse que é importante fazer a estruturação na capital e no interior, para que o Estado avance e " haja divisão justa dos dividendos".

"Porque poucos ganham muito e muitos ganham pouco, queremos que a renda seja dividida a quem é de direito, além de organizar o que já se faz hoje" , destacou Azambuja.

A catadora Marilene Camargo, 49 anos, destacou os benefícios do projeto. "Acredito que a dinâmica de trabalho vai melhorar e aumentar os ganhos mensais que atualmente são de R$ 500.

O projeto prevê a instalação de equipamentos como prensa, caminhões balanças, empilhadeiras, esteiras para triagem, mesas para triagens, máquinas de triturar vidros/plástico e papel, carros tipo plataforma, computadores, micro-ônibus, equipamentos de proteção individual entre outros, que contribuirão com o processo de coleta, separação e comercialização de resíduos/materiais coletados.

MS Sustentável será executado até o mês de dezembro de 2016 em todos os cinco municípios.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions