A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

22/03/2016 08:11

Sistema para captar água da chuva é simples, mas falta mão de obra

Implantar a cisterna e os equipamentos no quintal custa em média R$ 3 mil, porém a dificuldade está em achar os produtos

Mariana Rodrigues
Claudinei Varas de Freitas, mostra com orgulho água captada da chuva. (Foto: Simão Nogueira)Claudinei Varas de Freitas, mostra com orgulho água captada da chuva. (Foto: Simão Nogueira)

Hoje (22), data em que se comemora o Dia Mundial da Água, a preocupação da escassez ainda é algo que preocupa e tem levado várias pessoas a economizar, seja de forma simples ou mais profissional possível, cada um colabora como pode. A captação da água da chuva é um exemplo de consumo consciente, já que através dele é possível fazer o reaproveitamento e também diminuir o valor da conta no fim do mês. Mas, em Campo Grande ainda faltam produtos especializados e gente capacitada para auxiliar quem precisa do serviço.

Veja Mais
Com dinheiro ou só criatividade, economia de água pode chegar a 40%
Alunos criam sistema de captação de água para irrigar horta orgânica

O servidor público Claudinei Varas de Freitas, 51 anos, mora no Jardim das Nações e construiu sua casa totalmente sustentável há cinco anos. Lá a água da chuva é usada para lavar quintal, molhar as plantas, dar banho nos cachorros e até lavar a roupa. 

"A máquina de lavar foi adaptada para encher com a água da chuva, ao selecionar a opção de água quente, ela na verdade vai receber a água que está armazenada na cisterna, a gente usa essa água para lavar roupas mais sujas e pesadas que precisam de uma quantidade maior de água. O banheiro de fora também utiliza a água da chuva para a descarga", conta.

A cisterna foi colocada no quintal e em cima dela uma placa de concreto. (Foto: Simão Nogueira)A cisterna foi colocada no quintal e em cima dela uma placa de concreto. (Foto: Simão Nogueira)

Após estudar física ele começou a ter um interesse maior nas questões ambientais, daí em diante não parou mais, se especializou no assunto e colocou em prática na sua própria casa. Essa ideia veio não só por questões econômicas, mas também por pensar no uso consciente da água. "Hoje nós usamos sete metros cúbicos de água por mês, e isso reflete em uma conta de R$ 43", afirma.

Gastos - Claudinei garante que na época em que começou a construir sua casa, gastou R$ 2.100 na caixa d'agua e tubulação necessária para implantar o sistema, porém com a dificuldade de encontrar os materiais necessários em Campo Grande, tudo foi adquirido pela internet.

A cisterna usada foi a de dez mil litros, pois ele queria acumular uma grande quantidade de água. "Eu liguei no fabricante e perguntei se teria como adaptar essa cisterna para captar água da chuva, pois queria que ela ficasse dentro do solo e não exposta no quintal", diz. Pode parecer um processo difícil, mas ele conta que não é tão complicado assim. No caso dele, a primeira coisa que fez foi um buraco no quintal, de modo que coubesse a cisterna. Em cima ele optou por colocar um piso de concreto.

A água da chuva cai no telhado, vai para a calha e através do encanamento essa água vai para o decantador, que separa os dejetos e leva a água, já limpa para a cisterna. "Onde está o telhado coloca-se o rufo e vai tubular a água até a cisterna, é simples não é caro e compensa. Demora em média cinco anos para ter retorno, mas depois são só vantagens, principalmente nas questões voltadas para o meio ambiente", explica.

Este é um exemplo que mais se assemelha ao sistema implantado na casa de Claudinei. (Foto: Retirada do site Metalica.com.br/captacao-de-agua-de-chuva)Este é um exemplo que mais se assemelha ao sistema implantado na casa de Claudinei. (Foto: Retirada do site Metalica.com.br/captacao-de-agua-de-chuva)

Para montar um sistema de captação parecido com o dele, é necessário que a residência tenha calha e rufo, e estejam interligados a um cano que vai até a cisterna, entre o reservatório e o encanamento, é colocado o decantador, uma espécie de filtro que tira as impurezas da água.

Dificuldades - Apesar de Claudinei acreditar que há cinco anos era bem mais difícil implantar esse tipo de sistema em casa, e que hoje em dia é mais fácil, o Campo Grande News comprovou que ainda falta mão de obra qualificada e produtos específicos no mercado local.

Nossa reportagem só encontrou a cisterna própria para captação de água da chuva na Sertão da Rua 13 de Maio, pelo valor de R$ 3.149 com cinco mil litros. No site da Leroy Merlin também há várias opções do produto com vários preços e tamanhos, mas não confirmamos se estão disponíveis na loja física. Nas grande lojas de materiais de construção, eles não trabalham ou os produtos estão em falta.

Profissionais que fazem esse tipo de instalação também são difíceis de encontrar, o Campo Grande News entrou em contato com vários encanadores, mas nenhum é especializado nesse tipo de instalação. Porém Claudinei afirma que na época em que implantou o sistema em sua casa era bem pior. "Hoje melhorou, a arquitetura já trabalha em cima disso", conta ele que acrescenta ainda que um pedreiro pode fazer esse serviço.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions