A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

15/10/2015 17:14

"Fuga" de motoristas faz CCR criar campanha para incentivar pedágio

Ricardo Campos Jr.
Gestor da CCR diz que empresa mostrará economia em pagar pedágio (Foto: Gerson Walber)Gestor da CCR diz que empresa mostrará economia em pagar pedágio (Foto: Gerson Walber)

A cobrança do pedágio na BR-163 fez vários motoristas procurarem rotas alternativas para fugir da cobrança, segundo constatou a CCR MS Via, que há um ano administra a rodovia no estado. A concessionária encara o fato como desafio e irá lançar uma campanha para mostrar às pessoas que, mesmo pagando, é mais barato optar pela estrada privatizada, como explicaram os dirigentes da companhia em coletiva nesta quinta-feira (15).

Veja Mais
CCR entrega duplicação e cobrança de pedágio deve começar em outubro
CCR mantém obra no anel rodoviário após polêmica; duplicação só em 2017

“Nosso objetivo é fazer com que o cliente entenda que utilizando a BR-163 ele tem serviços de qualidade, serviços médicos e mecânicos, asfalto, sinalização e drenagem”, explica o gestor de atendimento Fausto Camilotti. Segundo ele, todos esses elementos contribuem para evitar a depreciação dos veículos, além de proporcionar viagens mais rápidas.

Para fundamentar a campanha, pesquisa foi realizada para calcular qual a economia gerada em trafegar pela via privatizada em comparação com outras estradas. Os dados devem ser revelados somente na próxima semana, quando a ação, de fato, tiver começado.

“Queremos demonstrar o quão importante é estar conosco, porque vale a pena”, afirma Camilotti.

Cobrança de pedágio na BR-163 começou em dezembro (Foto: Fernando Antunes)Cobrança de pedágio na BR-163 começou em dezembro (Foto: Fernando Antunes)

Números – Entre outubro de 2014 e 2015, houve queda de 29% na quantidade de acidentes com mortos em relação ao mesmo período em anos anteriores. Conforme levantamento da empresa, foram 46 ocorrências registradas durante a concessão contra 65 entre 2013 e 2014. Quanto ao número de mortos, a redução foi de 32%.

As equipes da CCR já fizeram 3.779 atendimentos médicos na rodovia, dos quais 29,2% (1.588) correspondem a acidentes sem vítimas; 16,4% (1.211) foram ocorrências com vítimas; 16,2% (816) tiveram apenas atendimento clínico e apenas 8,2% (90) resultaram em mortes.

Também foram registrados 58 atropelamentos com feridos e 16 com óbitos, o que correspondem a 7,3% e 4,2% do total, respectivamente.

Entre os atendimentos para socorro mecânico, a maioria (45,5%) tem relação com algum tipo de pane nos automóveis, enquanto 10,9% correspondem a trocas de pneus, 6,8% a pane seca (falta de combustível), 4% super aquecimento do motor, 3,2% pane elétrica e 1,8% a baterias descarregadas.

Melhorias – Camilotti ressaltou que já foram entregues quase 90 quilômetros de duplicação. A meta da empresa é que em cinco anos, toda a BR-163 tenha duas pistas. Segundo ele, estão em andamento obras desse tipo em trechos da pista nas cidades de Dourados, Rio Brilhante, Anhanduí, Jaraguari, São Gabriel do Oeste, Coxim, Pedro Gomes e Sonora.

Várias obras têm esbarrado em procedimentos burocráticos, como a obtenção de licenças ambientais. O gestor garante que tratativas com o poder público estão sendo feitas para que não haja adiamentos futuros na entrega das duplicações.




No dia 11.10.2015 ao retornar de Cuiabá, na praça de pedágio entre Coxim/Rio Verde-Ms, necessitei de atendimento (Correia do Alternador), permaneci das 18.35 as 20.45 Hrs, fui obrigado a utilizar do meu seguro para chegar até Campo Grande -Ms, até o momento de minha saída do local o guincho da empresa não havia chego ao local. Fiz reclamação no 0800, disseram que a ouvidoria iria entrar em contato comigo,porém, até a data de hoje não retornaram. Tenho deficiência física (redução na mobilidade), moro em Rio Brilhante Ms. Pagamos e temos o direito de sermos bem atendido. Estou no aguardo.
 
HAMILTON em 16/10/2015 22:13:28
Caro Sr. Fausto Camilotti.
Somos todos consumidores... Se o preço for, digamos, "justo", - se é que posso utilizar esta palavra já que vivemos sob a "égide" de um governo acachapante, e nem sei mais o que é justo e o que é injusto quando se trata de algo público - creio que pagaremos, mas se acharmos que for "injusto" vamos ter que fazer uma tomada de preço. E neste caso, provavelmente vai ganhar o fornecedor "rota alternativa".
Neste momento vou ficar meditando com os meu botões: E se não tivéssemos rotas alternativas? Estaríamos nas mãos da CCR MS Via... e provavelmente o Sr. Fausto Camilotti estaria nos dizendo: banco de otários, vocês vão ter que me engolir !!!!!!!
 
SeiQueNadaSei_CGRMS em 16/10/2015 10:30:50
Viagem mais rápida ? aquilo é uma verdadeira arapuca com um monte de radar a cada 15 km...cada vez o brasileiro perde mais o direito de ir e vir, até mesmo para sair num feriado. Se vc tem dinheiro é livre para passar e se não tiver, além de levar multa por tentar burlar, corre o risco de esperar 15 minutos até cadastrarem para receber o boleto em casa com data certa para te ferrar caso não pague. as rotas por Sidrolândia e Maracaju ou qualquer outra rota vicinal é mais rápida e corre menos risco de levar multa. Tenho pena é da categoria dos caminhoneiros, já sacrificados pelo diesel caro, o frete que não compensa, as quebras e manutenção e advinha quem vai pagar o aumento causado por isso: eu e vc, o consumidor na ponta. Essa história do pedágio tem é político sempre ganhando por trás.
 
Eddie Alessandro Miranda Carvalho em 16/10/2015 08:59:29
Vamos pensar um pouco:
IPVA; LICENCIAMENTO; SEGURO OBRIGATÓRIO; LICENCIAMENTO COM MAIS DE 5 ANOS TAXINHA DE VISTORIA DE APROXIMADAMENTE CEM REAIS. Agora, multiplique-se isso pela "pequena" frota de veículos em nosso território nacional, assombrosas são as cifras, essa sim é a vaca de divinas tetas! E ainda nos obrigam a pagar por um serviço excelente, sem dúvida, mas, que deveria ser a contrapartida de todo o pagamento de impostos devidos.
 
TIJUANO em 16/10/2015 07:53:01
No Brasil, se quiser serviço de qualidade tem que pagar, infelizmente.

Isso acontece nos estados de SP,PR, RJ, SC, RS, e agora aqui no MS, se quiser andar em rodovias perfeitas, tem que pagar.
 
wild em 15/10/2015 22:09:54
quando tiver com trechos grande duplicados e de boa pista ai sim não precisara se preocupar pois todo motorista prefere andar em estrada de qualidade.
 
Jean Sanches em 15/10/2015 20:42:59
Esse povo pensa que a população é besta, burra... só pode. Quem é que vai optar por pagar mais uma taxa, se pode buscar rotas alternativas? É claro que vão encher a bola, falar bem, mas quero ver na hora que o motorista precisar de fato, se vai ter tudo isso que eles falam... balela, conversa pra boi dormir, tentativa de arrancar mais grana do bolso do povo já tão sacrificado.
 
Mariana Carvalho em 15/10/2015 17:53:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions