A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 27 de Maio de 2017

25/11/2013 11:40

Deuses ou zumbis?

Por Valfrido Chaves (*)

O ódio, a mentira, a onipotência e a moral de duas faces são marcas registradas dos sistemas totalitários que, no século passado, reinaram em boa parte do mundo. Lembramos aqui, leitor, do Nazifascismo nas versões marxista e na hitlerista que, sem dúvida, são almas gêmeas da maldade humana.

A onipotência de um, o fascismo, pretendeu resgatar a humanidade da sujeira da contaminação racial com as raças inferiores. A de outro, após eleger a propriedade privada como o grande pecado da humanidade e a raiz de todos os seus males, prometeu o paraíso terreal após sua eliminação.

Com o fim da propriedade privada, para o que todos os meios seriam válidos e morais, o progresso, a fartura e a liberdade reinariam entre os povos abençoados pelo novo regime. Esta, leitor, são palavras e profecias que constam de toda a literatura dessa matriz ideológica e que, hoje, chega até nós através do "petismo".

Na prática, esses gêmeos da maldade sempre apresentaram uma diferença curiosa: os nazistas diziam claramente as maldades que praticariam e as efetivaram. Exemplifiquemos: diziam "vamos exterminar judeus, ciganos, poloneses e homossexuais" e, ato contínuo, partiram para a eliminação física desses grupos. Já os marxistas, liderados pelo grupo "bolchevista ou majoritário", sempre praticaram as mesmas barbáries, porém revestindo-as com discursos politicamente corretos, como por exemplo, prometendo "Pão, paz e terra" durante a implantação do regime na Rússia.

Fato é que ambos os regimes competiram na execução da barbárie para a realização de seus objetivos onipotentes; eliminar da humanidade pecados que seriam responsáveis pelos males atuais da terra. No caso, a contaminação racial e a propriedade privada.

Nos diz então a história recente que o hitlerismo foi varrido pela força das armas e regime comunista caiu de podre no meio mundo em reinou absoluto. Podre, porque caiu com as próprias pernas pela incapacidade de cumprir suas profecias onipotentes: fartura e democracia inigualáveis. A China, sob o domínio de um Partido Comunista, ressuscitou a propriedade privada para se tornar "o tigre asiático".

Diante do quadro inegável do fracasso do sistema socialista, fracasso econômico e politico social, pois sempre foi incapaz de conviver com a dignidade humana, não há como não indagar: de onde viria o fascínio dessa ideologia fracassada, para que tenhamos, no nosso Brasil, instalado no poder, um Partido de raiz totalitário-marxista?

Na busca de uma resposta, diante da impossibilidade de se negar o fracasso objetivo e sistemático do sistema socialista-marxista no mundo, entendemos ser necessário recorrermos à Psicanálise, na busca de uma resposta. Para nós a resposta está clara: a sedução dessa ideologia está no seu caráter onipotente, na medida em que confere ao seu militante a crença de que ele representa a "marcha da história".

Por isso se diz que eles são "historicistas", quem não está com eles está contra a História e contra a humanidade... Imbuídos dessas concepções, melhor diríamos, crenças, os militantes do socialismo marxistas, entre nós, os petistas, v~em seus opositores como "lixo da História".

A si mesmos se vêem como deuses acima do bem e do mal, da verdade e da mentira, do moral e do imoral. Noutros termos, bem, moral, verdade, seria tudo e qualquer coisa que lhes favoreça a causa. A corrupção por eles praticada, como no caso do Mensalão, seria "do bem". "Do mal" seria o julgamento pelo STF, onde as punições seriam de cunho politico, pois, pois.

A promoção do ódio entre as comunidades indígenas contra proprietários legítimados pelo Estado brasileiro, promoção essa efetivada pelo Cimi e setores do próprio Estado brasileiro, é uma prática moral, na medida em que busca fragilizar a segurança jurídica e a ideia da propriedade privada. A concepção suprema dessa ideologia é, pois, a promoção do ódio e do conflito entre classes sociais e etnias.

Para encerar, compartilho com o leitor paciencioso esta indagação: porque algumas pessoas precisam tanto se sentirem semi-deuses, com direito à mentira, à amoralidade, à pratica e promoção do ódio, do conflito, se sentindo exatamente superiores quando efetivam essas ignominias?

Mais estranho ainda: que inspiração leva exatamente setores religiosos se aliarem a tais manifestações de imoralidade encobertas com pele de cordeiro? Não haveria outras formas menos desumanas e destrutivas de se sentirem deuses? Deuses ou zumbis de uma ideologia maldita?

Que o leitor nos ajude nessa reflexão...

(*) Valfrido M. Chaves é psicanalista.

Os vices e a democracia
Penduricalho é a coisa que fica pendurada, que pende como enfeite ou adorno. Os vices, em plano federal, estadual ou municipal (vice-presidente, vice...
A reforma do gás natural
A agenda da competitividade é imprescindível para o desenvolvimento do país. Precisamos de reformas que reduzam o custo Brasil por meio da melhora do...
Tendência da Justiça do Trabalho e os reflexos no seu negócio
Não é novidade que a Justiça do Trabalho tem como objetivo facilitar a busca de direitos por parte dos trabalhadores. Ela faz parte de uma rede de pr...
O futuro da educação começa agora
Você, com certeza, já se pegou perguntando, em tom de curiosidade, para onde as mudanças desse mundo vão nos levar e qual será o destino das próximas...



A ideologia marxista prega a anulação da propriedade privada. E como os nossos representantes desta já extinta forma de governo pensam desta arcaica maneira, eles querem implantar no Brasil a derrocada da propriedade produtiva. Como? Fomentando uma reforma agrária espatafúrdia, na qual não se produz quase nada, e incentivando os nossos indígenas a invadirem fazendas, baseando-se em "estudos antropológicos" de seriedade duvidosa. Tudo o que conseguem é "bagunçar o coreto". Mas a verdade prevalecerá. TENHAM CERTEZA!
 
Eugênio de Souza em 25/11/2013 12:27:43
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions