A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 24 de Setembro de 2017

13/03/2013 15:00

Ernesto e Wilson

Por Edson Moraes (*)

Ontem, Wilson Melquíades de Carvalho. Hoje, padre Ernesto Sassida. Duas instituições de carne, ossos, alma, coração e ideais a serviço de sua gente, doando-se pelo bem-estar do próximo a vida inteira...

Sim, a vida inteira, vida eterna, porque Wilson e padre Ernesto não morrem. Transformam-se em ondas invisíveis de amparo, incentivo, solidariedade, doação, caridade, alegria, força e amor a penetrar nas consciências, a derrubar os muros do egocentrismo, a universalizar a sacrossanta aposta na maravilhosa aventura de viver em comunhão com Deus e com as pessoas deste mundo.

Porque para eles "morar em casa" não era simplesmente fixar-se numa obra imobiliária cercada e delimitada para a guarda da "minha família". Para Wilson e padre Ernesto "morar em casa" era o mesmo que viver dentro de um mundo de diferentes, de ricos e pobres, de negros, brancos, pardos, índios, mamelucos, migrantes, imigrantes, flamenguistas, corinthianos, cristãos ateus, homens, mulheres e pessoas de todas as orientações sexuais, tendo como teto o firmamento sem fim, sem paredes, nem cercas. Pessoas medidas tão-somente pela graça de sua concepção, como originárias da vontade suprema de Deus, por isso iguais na essência da criação.

Agora, o antigo torneio de meninos pasteleiros, picolezeiros, jornaleiros e engraxates naquele campinho de chão batido agora se realiza também no céu, para felicidade de crianças que não foram felizes na terra, infelicitadas e excluídas pelos abismos sociais do preconceito, da ambição desmedida, do consumismo fútil, da inversão de valores e da ausência do compromisso com Deus.

Felizmente, o compromisso de Deus não se dilui, nem ao menos se esgarça. É dele o único e absoluto compromisso com a vitória dos filhos amados que Dele receberam uma missão e dela se desincumbiram com louvor. Padre Ernesto e Wilson foram enviados para fazer o bem e distribuir felicidade, esperança, amor. Tão bvem cumpriram essas tarefas que Deus os chamou, pois precisa deles para continuar Sua obra.

Lá, ao lado de Deus, comprometidos com Deus, estão Wilson e padre Ernesto. Com certeza, não descansam. Nunca tiveram tempo pra isso. Continuam trabalhando, isto é, fazendo o bem, distribuindo felicidade, esperança e amor. Dois corumbaenses cidadãos do mundo...e como já se proclamou corumbaense o padre Ernesto, a Eslovênia também é aqui...sob este céu, o país de todos!

(*) Edson Moraes é jornalista, corumbaense e ex-integrante da Cidade Dom Bosco.

Às vezes, temos de magoar alguém para salvar a nós mesmos
Poderemos ter que romper com um parceiro que ainda nos ame, que dizer não a alguém muito querido, que ser antipáticos, pois sempre haverá a necessida...
Por que participar do Comitê dos Usuários de Serviços de Telecomunicação
Desde a polêmica das franquias de dados na Internet fixa, a Agência Nacional de Telecomunicações vive uma crise de imagem e de legitimidade. Na época...
A Guerra de 100 anos: poupadores vs bancos
Há 680 anos, a Europa ocidental testemunhava o início de uma de suas mais longas guerras. A versão mais conhecida entre historiadores é de que o conj...
As deformações sobre o conteúdo (ataques e defesas) da reforma trabalhista
Recentemente li uma matéria no Jornal Valor Econômico, de 11 de setembro de 2017, que me deixou muito intrigado. Na verdade, perplexo. Com argumentaç...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions