A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 17 de Outubro de 2018

14/09/2018 13:20

Portos brasileiros: muitas perdas

Milton Lourenço*

SÃO PAULO – Estudo da consultoria R. Amaral & Associados, de Santos, para a Associação Brasileira de Terminais e Recintos Alfandegados (Abtra) mostra que os portos públicos deixaram de receber R$ 14,3 bilhões desde 1993, quando houve a edição da Lei de Modernização dos Portos. Só o porto de Santos, responsável pela movimentação de cerca de 27% do comércio exterior, deixou de receber R$ 3,9 bilhões.

Segundo o estudo, de 1993 a 2017, 18 portos públicos brasileiros administrados por companhias docas aplicaram apenas R$ 8,3 bilhões (36,7%) dos R$ 22,6 bilhões previstos no orçamento da União para o setor, o que é um atestado incontestável da má eficiência do poder público durante todo esse período, independentemente dos partidos políticos que estiveram à frente do governo.

O estudo também aponta que o índice médio de eficiência orçamentária das docas no mesmo período ficou em 36,6%, enquanto o das demais estatais federais foi de 82,6%. Já o aumento de 213,25% na movimentação de cargas e de 708% na de contêineres pelos portos brasileiros, entre 1993 e 2017, em atendimento à demanda crescente dos exportadores e importadores no País, só comprova que os investimentos feitos pela iniciativa privada na modernização do setor têm dado resultados significativos.

O estudo mostra ainda que as companhias docas têm sofrido mais cortes em seus orçamentos do que as demais empresas estatais, o que é justificado pelas autoridades governamentais sob a alegação de que licenças ambientais e processos licitatórios costumam demorar muito tempo, levando o governo a dar prioridade a outros setores. Com isso, a infraestrutura portuária fica cada vez mais sucateada, causando, ao lado de malhas rodoviária e ferroviária que estão longe da eficiência do Primeiro Mundo, um custo que torna o produto nacional pouco competitivo no exterior.

Mesmo assim, o governo passado, em vez de partir para a expansão da infraestrutura do País infraestrutura, tentou colocar o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para financiar mais de 80% da construção do porto do Rocha, no Uruguai, orçado em US$ 500 milhões, além de custear a implantação do Porto de Mariel, em Cuba, a um custo aproximado de US$ 2,3 bilhões.

Como se sabe o porto de Mariel, inaugurado em 2014, não se tem mostrado atrativo para as empresas brasileiras em razão de sua excessiva burocracia. E o porto do Rocha, se o projeto fosse levado adiante, iria concorrer com os portos do Sul e do Sudeste e contra a bandeira brasileira na navegação, já que, como apresenta um calado de 20 metros, iria atrair o escoamento de grande parte da produção nacional de grãos e minérios, além de produtos manufaturados. Quer dizer: se havia recursos para essas aventuras megalomaníacas, não se entende por que o governo cortou verbas que seriam destinadas aos portos nacionais.

(*) Milton Lourenço é presidente da Fiorde Logística Internacional e diretor do Sindicato dos Comissários de Despachos, Agentes de Cargas e Logística do Estado de São Paulo (Sindicomis) e da Associação Nacional dos Comissários de Despachos, Agentes de Cargas e Logística (ACTC). E-mail: fiorde@fiorde.com.br. Site: www.fiorde.com.br

Qualidade para antever o futuro da indústria
A qualidade na indústria acompanha as constantes mudanças disruptivas, orquestradas pelos avanços das tecnologias e inovações que movem o mercado. Ca...
Nobel sinaliza sobre fragilidade da economia frente às variáveis ambientais
Dois americanos foram os vencedores do Prêmio Nobel de Economia este ano. Ambos escolhidos por seus estudos estarem relacionados com interações entre...
Riscos fazem parte da evolução
Num mundo globalizado como o que vivemos, onde as informações surgem a cada instante e é possível realizar compartilhamentos de conteúdos e ideias, i...
Entenda como o marketing pode impulsionar o agronegócio brasileiro
O Brasil sabe o que é marketing e consegue identificar o que não presta neste meio, como a famosa figura do marqueteiro político. No entanto, nosso p...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions