ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUARTA  22    CAMPO GRANDE 32º

Cidades

Após encontro, Puccinelli garante que envia amanhã projeto sobre piso salarial

Por Vinícius Squinelo | 16/12/2013 20:48

O governador André Puccinelli (PMDB) garantiu que envia amanhã (17) para a Assembleia Legislativa o projeto de piso salarial dos para uma jornada de 20 horas de magistério. A afirmação ocorreu no fim da tarde de hoje (16), após encontro com representantes dos professores.

De acordo com a assessoria de imprensa da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação), a reunião ocorreu apenas para sacramentar o acordo entre as partes, que prevê um reajuste salarial de 44% em cinco anos e Mato Grosso do Sul.

Conforme o presidente da entidade, Roberto Magno Botareli César, a proposta prevê reajuste de 8,5% a partir de 1º de janeiro deste ano. O Estado também vai incorporar os 20% restantes da regência ao salário. Com essa medida, a regência será 100% incorporado ao vencimento.

Além disso, o governador propôs implantar o piso para jornada de 20 horas. Para o docente de nível médio, sem considerar os reajustes no piso nacional, o aumento será de 44% em quatro anos, entre 2015 e 2018.

A proposta prevê que o valor do vencimento, de R$ 1.085, que atualmente equivale a 69,24%, passe a ser de 69,61% do valor em 2014. Se a correção do novo piso pelo Ministério da Educação ficar em 8,5%, o Governo estadual complementará o reajuste ainda no próximo ano, que poderá chegar a 10%.

César detalha que o governador se compromete a estabelecer a política salarial até 2018. O projeto será encaminhado amanhã à Assembleia Legislativa e prevê que o valor do vencimento chegue a 77,2% do piso nacional em 2015, 84,79% em 2016, 92,38% em 2017 e 100% em 2018.

O presidente da Fetems destaca que Mato Grosso do Sul será o primeiro estado brasileiro a pagar o piso nacional para jornada de 20 horas. Um professor com nível superior poderá receber R$ 1.880,40 para jornada de 20 horas.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário