ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  24    CAMPO GRANDE 22º

Cidades

BR-163 é disputada por empresas que já têm outras rodovias no País

Por Aline dos Santos | 17/12/2013 08:25
Leilão da BR-163 acontece na manhã desta terça-feira. (Foto: Marcos Ermínio)
Leilão da BR-163 acontece na manhã desta terça-feira. (Foto: Marcos Ermínio)

A lista de empresas que querem explorar os 847,2 km da BR-163, em Mato Grosso do Sul, é formada por candidatas que já venceram leilões de outras rodovias e administram boa parcela da malha viária privatizada no Brasil.

A CCR (Companhia de Participações em Concessões) é responsável por 2.437 quilômetros de rodovias, distribuídos por São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná. Conforme a empresa, esse número representa 15% da quilometragem total das rodovias concedidas à iniciativa privada no País.

A Invepar (Investimentos e Participações em Infraestrutura) controla cinco empresas que operam em mil quilômetros de vias. Segundo dados do grupo, dos 214 mil quilômetros de estradas pavimentadas da malha rodoviária nacional, 15 mil são administrados pela iniciativa privada.

Criada em 2000, a empresa administra, entre outras, a Linha Amarela no Rio de Janeiro - por onde trafegam todos os dias mais de 430 mil usuários - e a CLN (Concessionária Litoral Norte), na Bahia.

Vencedora do leilão para explorar a BR-163 no Mato Grosso, Odebrecht TransPort Participações foi criada em 2010. Com o novo trecho, a empresa passa a administrar 1.551 quilômetros de rodovias. Os 700 quilômetros atuais sob sua gestão estão divididos em seis concessões, localizadas em São Paulo, Bahia e Pernambuco.

A Triunfo Participações e Investimentos administra três concessionárias de rodovias: a Econorte, no Paraná, a Concepa, no Rio Grande do Sul, e a Concer, no Rio de Janeiro e Minas Gerais. Ao todo são 642 quilômetros de vias. O grupo venceu leilão neste ano para explorar as rodovias 060,153 e 262 (DF/GO/MG).

O grupo Queiroz Galvão reúne mais de 50 empresas, que atuma nos segmentos de Construção, Óleo e Gás, Desenvolvimento Imobiliário, Engenharia Ambiental, Gestão de Negócios, Energias Renováveis, Alimentos e Siderurgia e Indústria Naval.

O consórcio Rota do Futuro é liderado pela EcoRodovidas. A empresa detém seis concessões de rodovias, distribuídas por São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Espírito Santo.

Vencerá o grupo que propor a menor tarifa de pedágio, estabelecida em R$ 9,27 a cada 100 quilômetros. Os investimentos na concessão da BR-163 em MS são estimados em aproximadamente R$ 6 bilhões, dos quais R$ 3,5 bilhão devem ser investidos nos primeiros cinco anos.

O prazo para explorar a concessão será por 30 anos, com possibilidade de prorrogação pelo mesmo período. O leilão será nesta terça-feira, na Bolsa de Valores de São Paulo.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário