ACOMPANHE-NOS    
FEVEREIRO, SÁBADO  27    CAMPO GRANDE 23º

Capital

A cada 12 segundos, 1 pessoa tenta agendar teste da covid em Campo Grande

Só ontem, o disk covid recebeu 2.993 ligações de gente pedindo para agendar teste no drive thru

Por Paula Maciulevicius Brasil | 25/11/2020 12:30
Disk covid agenda testes a serem feitos no drive thru do Corpo de Bombeiros. (Foto: Paulo Francis)
Disk covid agenda testes a serem feitos no drive thru do Corpo de Bombeiros. (Foto: Paulo Francis)

A cada hora, 300 pessoas procuram o disk covid para agendar teste no drive thru do Corpo de Bombeiros em Campo Grande. A média é de 5 pessoas por minuto, 1 a cada 12 segundos. O dado é exorbitante e segundo o coronel Marcello Fraiha, tem sido constante. Só nessa terça-feira (24), o 0800 recebeu 2.993 ligações, o que daria quase cinco por minuto.

Além de exorbitante e constante, o diretor de saúde e assessor técnico do Corpo de Bombeiros Militar na SES (Secretaria Estadual de Saúde), coronel Marcello Fraiha, fala que os números estão muito acima da capacidade da central. "Essa demanda extrapola nossa capacidade operacional de atendimento e muitas pessoas ao ligarem não conseguem ser atendidas pela demanda excessiva de ligações", explica o coronel.

Unificado em um 0800 desde agosto, a central atende de segunda a sexta, das 8h às 18h30 para agendar teste a partir dos sintomas descritos por quem liga. O disk covid direciona a pessoa para o drive thru dos bombeiros ou ainda o ponto de coleta de exames na Escola Estadual Lúcia Martins Coelho.

Boletim da Secretaria Estadual de Saúde confirma 905 novos infectados no Estado, maior parte deles em Campo Grande. (Foto: Paulo Francis)
Boletim da Secretaria Estadual de Saúde confirma 905 novos infectados no Estado, maior parte deles em Campo Grande. (Foto: Paulo Francis)

Para o coronel, o elevado número da procura está relacionada à concentração de ligações em um só lugar. "Se as pessoas buscassem também as demais estratégias existentes e que não estão sendo usadas, não teria essa carga exagerada em um único ponto de testagem", pontua o coronel. Todas as 71 unidades de saúde da Capital estão preparadas para fazer o teste rápido, o da coleta de sangue e outras 12 unidades estão fazendo o RT PCR, o exame do cotonete.

O aumento na procura pelos testes também já é percebido pela Unimed Campo Grande. Em nota, a assessoria não precisou dados, mas afirmou o aumento substancial na quantidade de ligações para central de enfrentamento à covid-19 da Unimed Campo Grande. "Neste mês de novembro, em comparação aos meses anteriores, foi registrado o maior número de procura por meio do teleatendimento da central", disse a Unimed

O boletim divulgado pela SES (Secretaria Estadual de Saúde) hoje confirma 905 infectados nas últimas 24h, além do aumento na taxa de ocupação na Capital. A média móvel dos últimos sete dias está em 714 infectados por dia. Segundo boletim da SES, maior parte das pessoas que se infectam pelo novo coronavírus estão em Campo Grande.

Na macrorregião de Campo Grande, 82% das UTIs estão ocupadas, o que motivou reuniões do prefeito Marquinhos Trad (PSD) e também do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) com hospitais públicos e privados da cidade, além da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), para definir novos rumos do combate à doença na Capital.

Em Campo Grande, um novo decreto de toque de recolher vai determinar que da meia-noite às 5h da manhã as pessoas fiquem em casa.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário