A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

26/06/2015 13:11

Acusado alega que encontrou esposa com outro e agiu “cego de raiva”

Filipe Prado
Jorge alega que ficou cego de raiva e não se lembra do que aconteceu (Foto: Fernando Antunes)Jorge alega que ficou "cego de raiva" e não se lembra do que aconteceu (Foto: Fernando Antunes)

Jorge Weryton da Rosa Rister, 28 anos, acusado de matar Luiz Henrique Nascimento em abril de 2013, alegou que ficou “cego” no momento do crime e não se lembra do que aconteceu. Ele alegou que encontrou a sua amasia, na época com 15 anos, e a vítima “dando uns amassos” em sua residência.

Durante o julgamento na 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, pelo titular juiz Aluízio Pereira dos Santos, Jorge contou que era usuário de drogas e recebia ameaças de traficantes, por conta de dívidas, então comprou a arma de um fazendeiro para se proteger.

No dia do crime ele saiu para comprar cocaína e levou a arma de fogo. Após 30 minutos, o acusado voltou para a casa e acabou flagrando a namorada junto com a vítima. “Eu fiquei com raiva, tirei a arma, então fiquei cego. Não lembro do que aconteceu”, apontou Jorge.

Jorge lembrou que chegou a correr atrás de Luiz, mas assegurou que não se recorda quantos disparos e por quantos metros percorreu. Conforme a denúncia, o acusado usou de recurso que dificultou a defesa da vítima, tendo atingido a vítima nas costas. “Eu lembro que desferi alguns disparos, mas não foi para acertar ninguém”.

Depois do crime, Jorge fugiu de Campo Grande, sendo capturado cerca de dois anos depois na cidade de Rondonópolis (MT). “Eu me arrependo do que fiz”, afirmou. O casal ainda estava junto, de acordo com o acusado, mas a denúncia aponta que eles haviam se separado, sendo que a adolescente tinha ido à casa de Jorge para buscar os seus pertences.

Jorge é julgado pelo homicídio e por tentar matar a amasia. A sentença deve ser expedida na tarde de hoje (26).

Morte - Por volta das 19h, na Rua Diva Ferreira, Jorge ameaçou a ex-mulher de morte, então desferiu socos e chutes contra a vítima, ainda tentou realizar disparos de arma de fogo contra mesma, mas por problemas no revólver, a mulher conseguiu escapar.

Luiz estava no local e acabou sendo morto a tiros, porque Jorge não aceitava o fim do relacionamento com a sua esposa.

Prefeitura e TJ prorrogam renegociação de dívidas ajuizadas até 3ª
O programa de refinanciamento de dívidas da Prefeitura de Campo Grande foi prorrogado até o dia 19 de dezembro, a próxima terça-feira, no Centro de C...
Homem tem corpo queimado em acidente doméstico e morre na Santa Casa
Após dois dias internado, José Loureiro da Cruz, 49 anos, morreu por volta das 6h30 desta sexta-feira (15) na Santa Casa em decorrência de acidente d...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions