ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  26    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Família faz apelo para conseguir doador de medula à criança com leucemia

Por Mariana Lopes | 28/11/2013 15:38
Jonas descobriu há 2 meses a leucemia e precisa do transplante de medula óssea
Jonas descobriu há 2 meses a leucemia e precisa do transplante de medula óssea

Há três meses, a família do pequeno Jonas Amorim Rosa, de 1 ano, descobriu que ele estava com leucemia. Após dois meses, os médicos trouxeram a notícia de que as sessões de quimioterapias não haviam surtido o efeito esperado e que a única solução seria o transplante de medula óssea.

Desde então, a família do menino busca incessantemente um doador compatível a ele. A campanha de apelo atingiu as páginas do Facebbok, com um fan page intitulada “Doe Vida ao Jonas”, que já tem mais de mil curtidas.

Hoje, Jonas está internado no Cetohi (Centro de Tratamento Onco Hematológico Infantil) do Hospital Regional, em Campo Grande. Ele continua o tratamento com quimioterapia para controlar a doença e para subir a imunidade, conforme explica a prima da criança, Jhennyfer Epifânia Ferreira, 16 anos.

Como ser um doador – Para ser doador é necessário primeiro se integrar ao Cadastro Nacional dos Doadores, do Inca (Instituto Nacional do Câncer), realizado a partir de uma mostra de sangue.

A mostra coletada dos doadores cadastrados cruza com o cadastro dos pacientes que aguardam o transplante, para então confirmar se há 100% compatibilidade entre os dois.

No Brasil, a probabilidade de compatibilidade é de 1 caso a cada 100 mil. E no mundo, esse número vai para 1 milhão. Contudo, há aproximadamente três anos, uma doadora de Coxim, cidade distante 260 quilômetros de Campo Grande, doou a medula óssea para uma pessoa com leucemia dos Estados Unidos.

Nestes casos, o Governo Federal banca todos os gastos do transplante, de passagens, hospedagem, alimentação e o processo no hospital. De acordo com a assessoria de imprensa do Hemosul, o líquido da medula não faz falta a quem doa, pois as células se repõem no organismo em 15 dias.

Do que precisa? – Para ser um doador de medula óssea é necessário ter entre 18 e 55 anos, estar em bom estado de saúde, não pode ter doença infecciosa e incapacitante, pode ter tatuagem, pode estar grávida, pode estar mamentando, pode ter pressão alta, pode ser diabético, pode estar abaixo do peso, e não importa o grupo sanguíneo.

Locais para cadastro – Na Capital, a coleta de sangue para integrar ao Cadastro Nacional pode ser feita em três locais e os voluntários podem dar o nome do Jonas:

Hemosul: de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h30 (não fecha no horário de almoço), e no sábado das 7h às 12h30;

Santa Casa: de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h (fecha no horário de almoço);

Hospital Regional: de segunda a sext-feira, das 7h às 12h.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário