ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, DOMINGO  16    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Helicóptero da Casa Militar que caiu após pane no motor ficou destruído

Aeronave era ocupada por quatro militares, três de Mato Grosso do Sul e um de outro estado

Por Ana Paula Chuva, Dayene Paz e Ana Beatriz Rodrigues | 18/04/2024 16:25
Delegada Ana Cláudia Medina falou com a imprensa após acidente (Foto: Paulo Francis)
Delegada Ana Cláudia Medina falou com a imprensa após acidente (Foto: Paulo Francis)

O helicóptero modelo Bell 206, que caiu no final da manhã desta quinta-feira (18), ficou destruído. A aeronave de prefixo PT-HBM pertencia ao traficante colombiano Juan Carlos Ramirez Abadia e foi cedida ao Governo de Mato Grosso do Sul em 2007 depois de ser confiscada pela Justiça Federal.

De acordo com a delegada Ana Cláudia Medina, diretora do Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado), a aeronave sofreu danos de grande monta, o que, segundo o Código de Trânsito Brasileiro, significa que houve perda total.

“Foi um incidente grave. A aeronave sofreu danos de grande monta, mas o que importa é que todas as vidas foram salvas e estão bem. Foi uma pane de motor e o piloto fez todo o procedimento para chegar com vida ao solo, mas ainda é muito cedo para dizer o que aconteceu”, pontuou Medina.

À imprensa, a delegada explicou que o departamento deu início aos procedimentos que serão concluídos após a perícia do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) no local nesta sexta-feira (19).

“Nós continuaremos as perícias, mas precisamos aguardar o Cenipa para só depois concluir os trabalhos da Polícia Judiciária. O Dracco colabora para a elucidação do sinistro em si”, explicou a delegada que ficou no local até por volta das 16h de hoje.

De acordo com o segundo-tenente do Corpo de Bombeiros, três militares que estavam na aeronave são de Mato Grosso do Sul e o quarto de fora do estado, no entanto, não soube dizer de que estado. Quando a equipe chegou ao local, havia vazamento de combustível que foi contido.

"Fomos acionados para essa queda e quando chegamos três militares estavam no local e o quarto já tinha voltado para o hangar. Quando recebemos o chamado, a informação era de que a aeronave estava com risco de explosão. O piloto disse que houve uma pane no motor, mas a causa da queda só a perícia que pode afirmar."

Helicóptero caiu na cabeceira da pista após pane elétrica (Foto: Divulgação | CBMMS)
Helicóptero caiu na cabeceira da pista após pane elétrica (Foto: Divulgação | CBMMS)

Queda - A aeronave fazia um voo semanal de giro – realizado para preservação do equipamento – e estava há 20 minutos no ar quando sofreu uma pane. Segundo o Governo do Estado, o helicóptero caiu no momento do pouso e pilonou – nome dado para uma espécie de capotagem.

No helicóptero estavam dois coronéis, um subtenente e um sargento, sendo dois deles pilotos e dois tripulantes. Um PM foi socorrido com dores na lombar. O acidente aconteceu na cabeceira da pista.

"Fiel depositária" - O helicóptero foi entregue à Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul), como fiel depositária, há 17 anos. A aeronave foi cedida até que os processos contra Abadia transitem em julgado. Ele só pôde ser usado após o pagamento do seguro obrigatório no valor de R$ 105 mil e tem capacidade para três passageiros e dois tripulantes. O helicóptero foi avaliado, na época, em R$ 1 milhão.

Juan Carlos Ramírez Abadía em foto divulgada por site colombiano (Foto: La Silla Vacía/Divulgação)
Juan Carlos Ramírez Abadía em foto divulgada por site colombiano (Foto: La Silla Vacía/Divulgação)

 Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias