A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 24 de Outubro de 2018

21/01/2014 10:28

Internada há 4 dias em posto, paciente corre risco com falta de oxigênio

Leonardo Rocha

Ramona Fátima Freitas, 54 anos, está internada há quatro dias no Centro Regional de Saúde das Moreninhas, na saída para São Paulo, por falta de vagas nos hospitais. Além do drama de ficar em local improvisado, ela correu risco de morte, já que faltou oxigênio nos últimos dias. 

Ela foi internada na sexta-feira (17) no posto de saúde das Moreninhas com insuficiência respiratória. A direção da unidade de saúde justifica que não tem vagas nos hospitais da Capital. Na madrugada de domingo para segunda, faltou oxigênio na unidade, gerando a preocupação dos familiares.

“Minha mãe entrou aqui com insuficiência respiratória na sexta, porém até hoje não encaminharam para um hospital, onde tem mais estrutura, a família está indignada e preocupada com sua situação”, afirmou Ricardo Franco, 34, filho da paciente.

De acordo com ele, avisaram a família que além de não ter vagas nos hospitais, ainda existe uma fila de espera e que sua mãe é a número 4, de uma lista que já tem 48 nomes.

“Nós pagamos os impostos e vemos declarações que a saúde está ótima, porém quando precisamos não há assistência, minha mãe precisa de um lugar com toda infraestrutura necessária”.

Ricardo lembrou que no domingo (19) faltou oxigênio no local e como sua mãe está justamente com “insuficiência respiratória”, todos ficaram apreensivos com uma possível piora de sua saúde. “Temos ainda que lidar com estes sustos e riscos, não merecíamos passar por isto”.

Ele ainda revelou que muitos já o aconselharam a entrar em contato com o MPE (Ministério Público Estadual) para tentar uma “interferência” na situação. “Será que precisamos de toda esta burocracia para termos acesso a um tratamento?”, questionou.

A equipe do Campo Grande News entrou em contato com a assessoria da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) que ficou de analisar a situação e mandar uma resposta sobre a falta de vagas nos hospitais e a situação da paciente da região das Moreninhas.

Além do contato, foi enviado um e-mail especificando a situação denunciada ao site, até o momento não houve resposta da prefeitura de Campo Grande.



Desculpe sr. Ricardo Boretti, eu pensava que o Hospital Rosa Pedrossan, inaugurado há mais de 16 anos atrás, ainda na gestão Pedro Pedrossian, era com dinheiro e tratava-se de obrá PÚBLICA ESTADUAL (claro com participação do gov. federal); aliás, de lá para cá a população de Campo Grande deve ter crescido 1/4 do que era naquela época, e hoje nem Pref. nem Estado mobilizam-se com o carinho e respeito que a saúde merece; liga não, talvez o Sr. Precisa desse aquário e deve estar contente e feliz por não precisar da saúde pública como A GRANDE MASSA DA POPULAÇÃO SE UTILIZA; então fica assim a população se danando com o caos na saúde pública, os escândalos apurados pela metade e sem apontar culpado e o sr. aí se orgulhando com um grandioso ponto turistico que sair muito importante...abençoado.
 
Adolfo Dhenu em 22/01/2014 13:03:50
Adolfo, não fala asneira! Começa que o Aquário do Pantanal é uma obra do Governo do estado. Segundo: os milhões de reais que foram destinados à essa obra é dinheiro do TURISMO e não da saúde. No Brasil, (in)felizmente as verbas destinadas para determinadas pastas DEVEM, obrigatoriamente ser utilizadas para essas pastas. Terceiro: os postos de saúde são de responsabilidade da PREFEITURA, onde esse inútil desse Bernal não está fazendo nada além de uma cagada atrás da outra! E o turismo vai ser incentivado com a inauguração do Aquário na capital SIM! E se todos pensarem como vc, Campo Grande não vai evoluir nunca!
 
Ricardo Boretti em 22/01/2014 09:34:36
AS PESSOAS EM PRIMEIRO LUGAR.......(espere quem mesmo esta morando em duplex em frete a principal avenida de campo grande e nao chegou nem na metade de seu mandado)
 
julia Cardoso em 21/01/2014 14:42:39
É uma por vergonha... fiquei indignada em outubro quando minha mãe sofreu três infartos consecutivos, e minha mãe ficou 03 dias e 01 noite aguardando vaga na UPA dos guaicurus para o hospital... Por sorte conseguiu uma vaga para o Regional, chegando no hospital descobriram que minha estava com infecção no sangue, pontada pneumonia, enfisema pulmonar além dos infartos... Ficou 20 dias internada, e agora esta fazendo acompanhamento com os médicos do Regional.
 
Shirley Regina Servim em 21/01/2014 13:37:03
assim diz o prefeito eleito pelo povão bobão de campo grande AS PESSOAS EM PRIMEIRO LUGAR.....
 
ely monteiro em 21/01/2014 13:27:56
Enquanto isso, estamos contentes e felizes em receber um Aquário de mais de 80 mi, que dizem que vai receber "turistas"; pensei que os turistas quando vem, se dirigem diretamente para o Pantanal; agora vão ter que passar por aqui??
 
Adolfo Dhendu em 21/01/2014 13:15:24
O fato deve ser denunciado, formalmente embasado no DIREITO CONSTITUCIONAL, e a seguir, oferecer DENÚNCIA ao Ministério Público Estadual, com apresentação de nomes responsáveis pela GESTÃO da saúde pública municipal e estadual.

Essa VÍTIMA (Ramona Fátima Freitas, 54 anos), do poder POLÍTICO de MS, tenho certeza que foi bajulada para votar nas ultimas eleições, e agora? - Porque não é lembrada? - Porque está dando despesa ao erário da saúde pública?

SÓ SOMOS LEMBRADOS PARA VOTAR E PAGAR IMPOSTOS

"BRASIL, PAÍS DE TOLOS"
 
Eluiz Silva Paulon em 21/01/2014 12:29:58
Isso é uma vergonha tenho procurado também esse tido de atendimento e NÃO CONSEGUI, em nenhum local.
A solução foi ALUGAR UM APARELHO por MIL reais por mês, para que a paciente possa ter uma melhor qualidade de vida ou seja POSSA CONTINUAR VIVENDO.
NEI SALVIANO
publicitário
 
NEI SALVIANO em 21/01/2014 11:01:39
As pessoas em primeiro lugar!
 
rafael arantes em 21/01/2014 10:40:15
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions