ACOMPANHE-NOS    
MAIO, QUINTA  26    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Jovem de 29 anos morre e suspeita é de que causa seja leishmaniose

Por Viviane Oliveira e Mariana Lopes | 04/01/2013 14:37
A jovem morreu na madrugada desta sexta-feira. (Foto: reprodução Facebook)
A jovem morreu na madrugada desta sexta-feira. (Foto: reprodução Facebook)

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) investiga se a morte de uma jovem de 29 anos foi provocada por leishmaniose. Juliane Silveira, que estava internada desde a última segunda-feira (31), morreu na madrugada desta sexta-feira (4), em uma clínica particular de Campo Grande.

A família tem um exame que confirma o diagnóstico da doença. A jovem também sofria de lupus, considerada uma co-morvidade em casos de leishmaniose, ou seja, um fator agravante. A família não quis dar entrevista.  De acordo com a coordenadora do setor de epidemiologia da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) Erci Hirota, já foi solicitado para o hospital o relatório do prontuário médico da paciente.

Segundo dados da Sesau, no ano passado foram confirmados 245 casos de leishmaniose em Campo Grande. Desse número nove pessoas morreram vítima da doença. Em 2011 foram confirmados 202 casos e três pessoas morreram de leishmaniose na Capital.

Leishmaniose – A leishmaniose é uma doença crônica, causada pelo protozoário leishmania. Comum em cães é transmitida ao homem por mosquitos flebotmíneos que se alimentam de sangue. Nos cães, os principais sintomas são: fraqueza, queda de pelo, febre e feridas.

Na pessoa a doença pode causar lesões no nariz, boca e garganta. Ela também pode afetar o fígado, baço e a medula óssea. Caso não seja tratada pode levar a morte.

Nos siga no Google Notícias