A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 21 de Abril de 2019

28/02/2019 11:31

Mesmo fraca, chuva permanente espalha lamaceiro pela periferia

Rua Alvaro Moura no mesmo bairro está intransitável por causa da lama e de poças d'água.

Mirian Machado
Sempre que chove a Rua Alvaro Moura fica intransitável (Foto: Marina Pacheco)Sempre que chove a Rua Alvaro Moura fica intransitável (Foto: Marina Pacheco)

A chuva que cai há cinco dias na Capital não trouxe transtorno só nos bairros próximos do Centro. Para quem mora na periferia, qualquer quantidade de água já é prejudicial. "Sei que o povo fica pedindo chuva, mas eu não quero que chove”, diz Leide Laura Moraes da Silva, moradora do Bairro Bom Retiro em Campo Grande.

O barraco que Leide mora com o marido e os dois filhos de 12 e 2 anos não é seguro. Segundo ela na sala e no quarto a estrutura do telhado é mais reforçada, mas “pinga na cozinha e no banheiro. Aqui é onde a gente mais fica então fizemos mais reforçado”, explica. A chuva dessa semana que veio forte e alagou vários pontos da cidade, também entrou na casa da família. “Meu filho começou a chorar vendo meu desespero arrastando a água com o rodo”, lamenta, dizendo que tem medo de queimar o motor da geladeira, já que é a única mobília que não consegue levantar do chão.

 

Leide mostrando onde a água da enxurrada chegou (Foto: Marina Pacheco)Leide mostrando onde a água da enxurrada chegou (Foto: Marina Pacheco)
Casa da Laura era pra ser entregue hoje, mas a chuva adiou (Foto: Marina Pacheco)Casa da Laura era pra ser entregue hoje, mas a chuva adiou (Foto: Marina Pacheco)

A dona de casa Alzeni Alves da Silva, de 38 anos, estava com o filho de 1 ano e 8 meses quando a chuvarada começou. Na frente do barraco a casa de alvenaria já está sendo construída, mas a chuva arrancou parte do reboco e tudo está sendo feito novamente hoje (27). Mesmo assim o medo continua. “Eu perdi muita fralda do meu filho, porque molhou tudo”, disse.

A esperança dela como de outros moradores é o término das casas. Uma fileira de casas eram para ser entregues hoje (27), mas a chuva atrasou e alguns detalhes ainda estão sendo feitos, segundo os moradores.

“A gente não tem o prazer de ter um sapatinho”, lamentou a aposentada Laura Umbelina dos Santos de 69 anos, se referindo ao lamaceiro na Rua Alvaro Moura. Ela mora sozinha, e Deus, como ela mesma prefere falar. A casa nova dela já está pronta, mas como outras ainda não estão, ela continua no barro que fica nos fundos. “A enxurrada da chuva entrou em casa e está parecendo lodo. Não adianta limpar agora, parece que vai chover mais”, contou.

Ela está feliz já que logo logo estará na casa nova, mas a rua não ajuda. O lamaceiro toma conta de toda a via. Várias poças d’água, lama que faz muita agente escorregar e carros atolarem. “Se jogar cascalho já melhora e muito”, afirma.

Assim como Laura, todos os moradores estão esperançosos com a construção das casas para acabar com esses transtornos de gotejar dentro de casa. “Tomara que sai logo a casa para a gente não passar mais por isso”, conta Leide.

Construção de casas também foram afetadas pela chuva (Foto: Marina Pacheco)Construção de casas também foram afetadas pela chuva (Foto: Marina Pacheco)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions