A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Junho de 2018

19/01/2011 21:33

Motorista ferido por jovens ainda não recuperou movimentos

João Humberto

Um dos autores do crime foi preso hoje e outro está foragido

Motorista mostra marcas de tiro que perfurou o intestino. (Foto: João Garrigó)Motorista mostra marcas de tiro que perfurou o intestino. (Foto: João Garrigó)

O motorista Edson Bazan, de 39 anos, baleado por dois jovens no dia 1º de janeiro quando dirigia um ônibus do transporte coletivo urbano no bairro Dom Antônio, em Campo Grande, ainda não recuperou os movimentos do corpo. Edson é o personagem de uma violência que só cresceu nos últimos cinco anos.

Levantamento da Assetur (Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano) mostra que o número de assaltos a coletivos passou de 199 no ano 2000 para 681 no ano passado. Questionada se o problema ocorre devido à falta de segurança nos coletivos, a empresa rebate dizendo que o problema é decorrente do aumento generalizado da violência.

Sem poder levantar da cama, Edson carrega no corpo as marcas do assalto. Ele tem o lado esquerdo do corpo paralisado devido ao tiro que levou na coluna. Nas mãos e na perna as marcas do disparo feito com revólver de calibre .32. Outro tiro atingiu sua barriga e perfurou o intestino, por isso tem de usar sonda.

“Vou ter que fazer uma operação no intestino. A bala da coluna o médico falou que não vai poder tirar agora”, explica o motorista que não sabia da prisão de um dos autores do crime, feita nesta tarde, e diz que prefere esquecer o episódio.

O diagnóstico recebido não é promissor, o médico não sabe se voltará a andar normalmente. Mesmo assim, o motorista espera retomar a vida e os estudos. Para os autores, deseja que reflitam e “que Deus os abençoe”.

Apesar de não guardar rancor, o motorista confessa que ficou traumatizado com o episódio no qual, por pouco, não perdeu a vida. “Ele só não me matou porque acabou a bala”, lembra.

Há 22 anos como motorista de ônibus, Edson lembra que as dificuldades enfrentadas na região do Dom Antônio, onde ocorreu o crime, eram muitas. Ele diz que os jovens da região ficavam na frente do ônibus e tentavam intimidar motoristas.

“Ninguém quer fazer aquela linha. A maioria dos jovens do bairro anda armado”, afirma. A violência era tamanha que ele registrou 14 boletins de ocorrência desde dezembro de 2009. O motivo eram os constantes assaltos que sofria na região.

Em um dos casos de violência sofrida por ele, em agosto do ano passado, um indício do que poderia acontecer. Quando fazia a última volta do ônibus com itinerário Dom Antônio / Lageado, ele teve o veículo cercado por quatro jovens que “para bagunçar” começaram a atirar pedras no veículo.

Desentendimento - Edson lembra que dois dias antes de ser baleado, dois jovens passaram em frente ao ônibus dele e o motorista teve que frear bruscamente. No dia seguinte, uma bicicleta caiu sobre o ônibus quanto este parou e o dono veio tirar satisfações.

O dono da bicicleta é Max Ferreira da Silva, de 19 anos, preso hoje por ter atirado em Edson. Á Polícia, o jovem alegou que o motorista tinha passado por cima de sua bicicleta e essa foi a motivação dos disparos.

Um dia depois do episódio da bicicleta, Edson conta que dirigia pela rua Evelina Selingar quando um jovem passou em frente ao ônibus e jogou um tijolo na porta do veículo. Ele desceu e o rapaz correu do local.

Enquanto acionava a PM, Max deu um tiro e disse para o rapaz que jogou o tijolo concluir o homicídio. O jovem foi identificado apenas como Marcos e é procurado pela Polícia.

Conforme a vítima, ele deu outros três tiros e tentou matar o motorista, mas não conseguiu porque acabou sua munição. “Atiraram sem piedade. Imagina você descarregar o revólver em uma pessoa que está caída”, observa.

Para o motorista que foi vítima dos jovens do Dom Antônio, a violência reflete a falta de segurança no bairro. Contudo, estatísticas da Assetur mostram que o problema ocorre em várias regiões de Campo Grande.



Eu acho que a policia deve fazer mais rondas nessa região e fazer um policiamento contìnuo sei pq sou morador da região, existe muita malandragem a solta muitas bocas de fumo isso cotribui muito para marginalidade
 
paulo alves em 20/01/2011 12:44:39
e triste,o que anda acontecendo;pq as autoridades nao faz nada para nos.eu sou tbm,motorista de taxi,ja fui assaltado e nada foi feito.a policia so fica no centro da cidade,nao tem policiamento nos bairros.moro no aero rancho nao vejo uma viatura passar por la.......CADE AS AUTORIDADES///ate quando nos vamos ter que aguentar isso,pegam os bandidam,e soltam,,,,,,nao
 
ivan luiz em 20/01/2011 12:14:07
Triste realidade...
Este é mais um caso pra estatistica de criminalidade Sr. prefeito?
Qual será o destino desses marginais e de muitos outros que acabam sendo soltos no outro dia porque não conseguem efetuar o bendito FLAGRANTE dito em nossa constituição?
O mais trágico é saber que este senhor ficará com sequelas, como é triste ler algo assim... e mais triste ainda é saber que absoultamente nada será feito e por quê?
Porque nossas autoridades que deveriam zelar pelo nosso direito de segurança que também está na constituição, não conseguem por um fim nisso, que é muito simples, vou dizer como:
Invistam em concursos públicos para policiais, remunerem esses funcionários mais dignamente, falar mal da policia é fácil, vai encarar esses marginais no peito pra ver.
Sinceramente, um pais de vergonha, um estado de vergonha, uma cidade de vergonha... prefeito está faltando asfalto no meu bairro, já que os ônibus daqui são assaltados também, faça pelo menos o asfalto aqui, alguma coisa o senhor precisa fazer.
 
Elizandra Dutra em 20/01/2011 11:07:35
É , o estado põe um monte de aluno soldado nas ruas, mas pouco sabem a sociedade que é uma maneira de tampar o sol com a peneira ,pois nem polícia são ainda, e que nada tem feito a não ser passar a imagem de que existe um policiamento.
 
jeude de souza borges em 20/01/2011 09:55:56
Se num curto prazo, nossos governantes nao investirem em EDUCAÇÃO DE VERDADE, acho que epsodios como esses aumentarao. A sociedade organizada precisa acordar, nao podemos achar normal o jeitinho brasileiro, a maldita corrupção, ela é quem tá afundando nossa sociedade, o pior, a maioria acha normal. Os milhoes que sao desviados dos nossos impostos, fizeram, está e irao faltar nos investimentos em Educação. Enquanto esses jovens viverem a margem da sociedade, isso vai ocorrer, e nao querendo ser pessimista, vai aumentar. Chega de achar normal super salarios para vereadores, deputados, senadores, governadores, prefeitos, juizes, desembargadores, promotores, e por ai vai, chega......EDUCAÇÃO URGENTE, JÁ. Obrigado.
 
ANTONIO CARLOS LEAO em 20/01/2011 02:06:59
BOM em primeiro lugar por favor arrumen policias!!! ta ficando dificil andar de onibus tambem!!!!!! em vez de ficar fazendo festa de natal casa do papai noel arrume luz dos bairros!!!!!!!!!!!! a casa do papai noel teve mais luz que qualquer outro bairro!!!!!
e os bairros como ficam!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! sem luz;sem asfalto;sem policia!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! até quando!!!!!!!!!!!!!!!!!!
 
josiane pedra siqueira em 20/01/2011 01:16:19
Exemplo claro de que a polícia não serve pra absolutamente nada.
Ontem a noite eu estava andando ao lado de uma viatura de Ciptran na Av. Afonso Pena, quando um pouco antes do cruzamento com a Rua Bahia, uma camionete desceu a Rua Rio Grande do Sul, entrou na contra mão na Afonso Pena (!) e estacionou na locadora 100% Video. Os Srs. vejam bem, a camionete entrou na contra mão, na Afonso Pena, eu estava exatamente ao lado da viatura da Polícia, ambos vimos a imprudência do motorista, e qual foi a reação da Polícia? Virou na Rua Bahia, e foi embora....
E aí? Como ficamos? Leis existem mas não se aplicam, a polícia não é treinada pra conter abusos do cidadão perante a lei, a polícia é pau mandado, só faz alguma coisa se receber ordem de alguém, se não, faz vista grossa, e dane-se, afinal, o salário tá na conta todo começo do mês né?
 
José Neto em 20/01/2011 01:12:39
Bom é muito facil colocar a culpa somente no estado, em nossos governantes, logico que eles tem um papel fundamental nesse problema, mas esquecemos também de nossas responsabilidades quanto pai, mãe ou até mesmo educadores, quando passamos a mão na cabeça de nossos filhos, o simplismente fingimos não ver o problema que temos dentro de nossa propria casa, a culpa não é so dos governantes e sim nossa também, quanto sociedade, pois quem dá educação, respeito, dignidade, virtude e assima de tudo carater não é o governo, e sim a familia, que em muitos casos e mais facil deixar seus filhos na rua do que educar, quando falo em educar não falo somente de educação fundamental ou média aquela que se ensina na escola, mas sim os preceitos que quem deve ensinar e o pai e a mãe pois os professores tanto da rede estadual de ensino quanto da rede municipal estão lá para passar conhecimento e não para criar filho de ninguem, o que muitos da sociedade interpretam errado, acham que os professores estão lá para criar seus filhos, vamos acordar população é muito facil criticar o governo e nós o que fazemos, nada e muito mais facil colocar a culpa em nossos governantes. Mais uma pergunta onde esta o pai e a mãe desse delinquente de 19 anos, e o outro que nem sabemos ainda quem é, é acho que o governador deveria esta lá na casa dessa pessoa educando o pai e a mãe deles, isso se não forem da mesma tirpe!!!
 
Max Freitas em 20/01/2011 01:11:16
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions