ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 26º

Capital

Na 2ª volta às aulas do ano, adesão ao sistema presencial pode ser menor

Escolas esperam volta para saber se famílias vão preferir o ensino remoto

Por Paula Maciulevicius Brasil | 01/04/2021 11:39
Mesmo com medidas de biossegurança como o distancimento entre carteiras, tem escola que vê pais mais receosos com casos de covid. (Foto: Arquivo/Marcos Maluf)
Mesmo com medidas de biossegurança como o distancimento entre carteiras, tem escola que vê pais mais receosos com casos de covid. (Foto: Arquivo/Marcos Maluf)

Com a vida pautada em decretos, o retorno às aulas presenciais na próxima segunda-feira pode não ter a mesma adesão do início do ano letivo, isso porque o aumento do número de casos de covid tem deixado pais em alerta.

Diretor do Colégio Status, Lúcio Rodrigues Neto, afirma que a abertura dos portões da escola está prevista para segunda, mas com muitos alunos no ensino remoto. "Depois do aumento de casos na cidade alguns pais já tinham migrado para o ensino remoto, principalmente dos alunos maiores", fala.

Com um fechamento de duas semanas, a primeira seguindo decreto municipal e a segunda o estadual, as escolas agora se preparam com limpeza e sanitização.

"Estamos fazendo toda a desinfecção de novo, como sempre fazemos, prevista no plano de biossegurança", frisa Lúcio.

No Dom Bosco, coordenação espera reação dos pais diante do retorno. (Foto: Arquivo/Kísie Ainoã)
No Dom Bosco, coordenação espera reação dos pais diante do retorno. (Foto: Arquivo/Kísie Ainoã)

No Colégio Dom Bosco, o maior em número de alunos, a volta ainda é uma incógnita. Segundo o coordenador Lúdio Silva, o retorno está previsto conforme as medidas de biossegurança, mas que é preciso esperar pelos pais.

"Não tem como prever como será, vai depender muito dos pais, e vamos aguardar para ver. Quem ficar em casa segue com todas as atividades e aulas on-line", garante.

Pais - Na casa da produtora de conteúdo e marketing digital, Mayara Salgado Piva Vasconcelos, o filho está em ensino remoto nas duas últimas semanas e vai seguir assim pelos próximos dias.

A decisão foi da família de deixá-lo no ensino remoto. "Ano passado ficou intercalando remoto com presencial quando liberava, mas este ano decidimos que ele não volta até a pandemia amenizar. Há 20 dias passamos um susto aqui em casa com suspeita de covid e eu vi a gravidade da situação", diz.

Embora a família acreditasse que este ano seguiria todo presencial, até porque Mayara viu a escola do filho investir nos cuidados, o filho Rodrigo, de 5 aninhos, já aceitou mais tranquilamente ficar em casa. "Ele já está acostumado com o vírus e entendendo o quanto é perigoso", conta a mãe.

No Harmonia, direção afirma que aula presencial segue como maioria na escolha das famílias. (Foto: Arquivo/Marcos Maluf)
No Harmonia, direção afirma que aula presencial segue como maioria na escolha das famílias. (Foto: Arquivo/Marcos Maluf)

No Colégio Harmonia, a direção não vê mudança no número de alunos presenciais, porque desde o início a maioria das famílias optou pela volta. "Já estávamos neste primeiro semestre com uma média de 90% dos alunos optando pelo presencial e tudo indica que vamos seguir nessa linha na volta de segunda-feira", acredita o diretor Daniel Martins.

Com os pai trabalhando, o diretor enxerga como necessidade as crianças e adolescentes permanecerem na escola. A limpeza e sanitização para a recepção será feita no final de semana. "Para que na segunda esteja tudo limpo e pronto", pontua.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário