A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

02/09/2013 19:49

Negociação em frigorífico acaba em agressões e quatro pessoas presas

Vinícius Squinelo
Bueno foi um dos presos levados para a DepacBueno foi um dos presos levados para a Depac

Dois trabalhadores e dois sindicalistas foram presos durante negociação salarial do Frigorífico Beef Nobre, no Jardim Carioca, em Campo Grande. Quem acompanhou as prisões, fala em “abuso policial”.

Desde a manhã de hoje (2) os trabalhadores do frigorífico cruzaram os braços, e iniciaram negociação salarial com os dirigentes da empresa. No fim da tarde a conversa entre patrões e empregados se encaminhava para um acordo, quando uma ação policial teria atrapalhado.

“A negociação já estava encaminhada, mas aí chegou seis viaturas da Polícia Militar escoltando trabalhadores de outro lugar em uma van, para trabalhar no frigorífico”, relatou Genilson Duarte, presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores), em Mato Grosso do Sul. “O pessoal em greve tentou negociar com a polícia, mas acabou em agressão”, lamentou.

Houve empurra-empurra entre trabalhadores grevistas e policiais, e quatro acabaram presos. Os funcionários Fabiano Pereira Alves e Cristiano Rodrigues Duarte foram detidos.

Também foram presos Alexandre Costa, vice-presidente da Cassems e presidente do Sintss (Sindicato da Seguridade Social), e Ricardo Bueno, presidente do Conselho Estadual de Saúde. Os dois acompanhavam a negociação, representando a CUT.

Todos os presos estão neste momento na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento) do Centro de Campo Grande, onde está sendo registrado o boletim de ocorrência.

Agressões - Um assessor da CUT e presente no local das negociações relatou que houve agressões e abuso por parte dos policiais militares. “O Alexandre estava filmando a ação, mas ele levou um tapa de um policial, o celular chegou a cair no chão”, afirmou ele, que preferiu não se identificar.

Bueno também teria sido agredido no momento em que era colocado no camburão da PM. O óculos dele, inclusive, teria sido quebrado.

Negociação - Com faixas, som e dizeres, centenas de funcionários do Frigorífico Beef Nobre, no Jardim Carioca, em Campo Grande, paralisaram as atividades desde a madrugada desta segunda-feira (2). Eles reivindicam melhorias salariais e não aceitaram a proposta oferecida pela empresa.

Balas de borracha também teriam sido disparadas na direção dos cerca de 200 funcionários da empresa.

Os trabalhadores pedem um aumento salarial de 9%, além do valor do vale refeição que subiria de R$ 60 para R$ 100, participação dos lucros da empresa de R$ 430 para R$ 700 e folga aos sábados, já que eles folgam somente uma vez ao mês, sendo o único frigorífico da Capital que trabalha dessa maneira.

Funcionários de frigorífico cruzam os braços por aumento salarial de 9%
Pouco mais de 400 funcionários do frigorífico Beef Nobre estão de braços cruzados nesta segunda-feira. O motivo da paralisação é a falta de avanço na...
Apae recebe doação de brinquedos da campanha Compartilhe o Natal
Foi iniciado nesta segunda-feira (11) a entrega de brinquedos arrecadados na campanha "Compartilhe o Natal", realizado pelo Ministério Público Estadu...


A matéria não relatou que no início da ação, havia no local uma equipe com apenas quatro policiais militares para controlar centenas de manifestantes. E que a chegada de duas vans, transportando trabalhadores do setor para manter o frigorífico funcionando, causou a fúria dos manifestantes que tentaram impedir a entrada dos veículos, fazendo piquetes, e atirando pedras.
Cabia aos policiais militares a preservação da integridade física dos trabalhadores que estavam no interior das vans. E que o uso da força foi para repelir injusta agressão, porque os manifestantes começaram a jogar pedras, e tentaram agredir os policiais militares. Sendo que um dos manifestantes tentou tirar a arma de um policial. (Ocorrência/362/2013/Depac/centro)
Cláudio Souza - vice-presidente da ACS PMBM/MS
 
Cláudio Souza em 03/09/2013 08:43:01
POLÍCIA SÓ VAI A ONDE É CHAMADA, SÓ AGRIDE PARA SE DEFENDER, ONDE ESTÁ ESCRITO QUE POLÍCIA TEM QUE APANHAR PARA AGRADAR "A" OU " B"., BATER EM POLÍCIA E MANIA DE SINDICALISTA. EU QUERO QUE O CAJADO DE DEUS PESE NA CABEÇA DE QUEM ESTIVER ERRADO NESTA OCORRÊNCIA, INCLUSIVE NA MINHA SE FALEI BOBAGEM.
 
jorge ferreira em 02/09/2013 20:56:40
Isso so mostra o quanto poder tem nas mãos,esses patroes,deixando tudo isso
acontecer com pessoas que trabalham honestamente,pessoas de família que só
querem condições de vida melhor...Uma luta diária e mais ainda tendo que abaixar a cabeça mesmo sabendo que estão com toda razão.
 
Suellen Torres em 02/09/2013 20:21:06
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions