ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 21º

Capital

No primeiro dia, 113 moradores de rua foram levados para abrigos

SAS precisa de doações: "roupas de cama, toalhas, itens de higiene, estamos precisando de tudo", disse vice-prefeita

Por Anahi Zurutuza | 25/03/2020 19:30
Moradores de rua são recebidos por prefeito em uma das escolas-abrigo na manhã desta quarta-feira (Foto: Kísie Ainoã)
Moradores de rua são recebidos por prefeito em uma das escolas-abrigo na manhã desta quarta-feira (Foto: Kísie Ainoã)

No primeiro dia que as equipes do Seas (Serviço Especializado de Abordagem Social) saiu às ruas de Campo Grande para acolher moradores de rua e levar para os abrigos, 113 pessoas “sem teto” decidiram ir tomar banho, comer e dormir nas escolas municipais, desativadas desde o dia 18 e que viraram alojamentos. O balanço foi divulgado pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD) na tarde de hoje (25).

“Temos agora quatro centros de apoio, para dar teto e dignidade e esses seres humanos, que devem receber os mesmos cuidados que aqueles que moram em mansões. Ele terão 4 refeições, cama nova, lençóis, banheiro com chuveiro quente e frio, além de acesso a médicos, psicólogos, assistente social e apoio do setor de esporte”, afirmou o prefeito em live pelo Facebook.

A vice-prefeita, Adriane Lopes, participou da transmissão porque trabalhou na organização do esquema de acolhimento, mais uma medida de enfrentamento à pandemia do coronavírus. A proposta inclui abordagens 24 horas por dia e uso de três escolas municipais - Pe. Tomaz Ghirardelli (Dom Antônio Barbosa), Professor Antonio Lopes Lins (Portal do Caiobá) e Doutor Plínio Barbosa Martins (Jardim das Macaúbas) – como alojamento.

Os espaços foram cedidos pela Semed (Secretaria Municipal de Educação) e poderão receber 60 pessoas cada.

Os três prédios reforçarão a capacidade dos abrigos já existentes no município Cetremi (Centro de Triagem do Migrante e População em Situação de Rua), no Jardim Veraneio, e no Centro Dia, situado no Vilas Boas. "O Cetremi vai ficar só para acolher as pessoas que tem algum tipo de vicio", explicou a vice-prefeita.

Ela aproveitou a transmissão para pedir doações. "Roupas de cama, toalhas, itens de higiene, estamos precisando de tudo porque como muitas lojas estão fechadas, não estamos conseguindo comprar".

A intenção da Prefeitura de Campo Grande é tirar as pessoas das rua, onde não têm condições de higiene e ficam suscetíveis a contrair o novo vírus. Além de adoecer, podem se tornar vetores da Covid-19.

Serviço - Para informar sobre a presença de morador de rua precisando de acolhimento, o Seas atende 24 horas pelo números 98404-7529 e 98471-8147.

Para doações, fala contato com a SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social), no 3314-4482. Mais informações no site.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário