ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  16    CAMPO GRANDE 33º

Capital

Prefeitura começa derrubar casas em área invadida no Jardim Montevideu

Há quase seis meses, cerca de 60 famílias invadiram a área pública e construíram casas de alvenaria. Equipes da Semadur e Emha estão no local e derrubam as casas que estão sem moradores

Por Christiane Reis e Adriano Fernandes | 18/01/2017 16:19
Casas que estiverem sem ninguém no local já estão sendo derrubadas. (Foto: Alcides Neto)
Casas que estiverem sem ninguém no local já estão sendo derrubadas. (Foto: Alcides Neto)

A Prefeitura de Campo Grande está com equipes da Semadur (Secretraria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) e Emha (Empresa Municipal de Habitação), no Jardim Montevideu, na tarde desta quarta-feira (18), onde iniciam a derrubada de casas de alvenaria construídas por famílias que invadiram uma área pública há quase seis meses.

Estão no local aos menos 30 guardas civis municipais e uma patrola. Casas que estiverem sem ninguém serão derrubadas. Havendo moradores, eles serão notificados e terão cinco dias para desocupar. A área está localizada na Rua Ponônia, entre as ruas Clark, Manduba e Charin.

Moradores cobram a presença do prefeito, Marquinhos Trad (PSD), no local. Djair Gomes da Silva, 28 anos, disse que mora na área com a esposa e duas filhas. “Não queremos nada de graça. Se eles nos derem o terreno e pedirem para pagar por ele, nós vamos pagar”, disse.

Guarda Civil Municipal está no local. (Foto: Alcides Neto)
Guarda Civil Municipal está no local. (Foto: Alcides Neto)
Famílias presenciam a derrubada dos imóveis. (Foto: Alcides Neto)
Famílias presenciam a derrubada dos imóveis. (Foto: Alcides Neto)

Humberto da Silva Firmino, 25 anos, contou que mora na área invadida com a esposa, grávida de 5 meses, e um filho de 4 anos. “Eu vim para cá porque devia um aluguel de seis meses aqui no bairro mesmo e, como existia essa área aberta, vim e construí”, contou.

Segundo o técnico da Semadur Alexandre Silva, toda a área é pública e foi invadida. “Já existe um processo administrativo para a desocupação”, disse.

Ele informou também que as casas que estiverem sem ninguém serão derrubadas, enquanto que as estiverem com moradores estes serão notificados para deixarem o local em cinco dias. A guarda municipal disse que acompanha a ação apenas para garantir a segurança de todos.

A reportagem entrou em contato com a Prefeitura de Campo Grande e não obteve retorno até a conclusão deste texto.

Texto editado às 17h02 para correção de informações. 

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário