A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Abril de 2019

19/03/2019 15:55

Preso da Máxima em MS comanda crimes do PCC em Minas Gerais

Claudemir Rodrigues de Oliveira, o “Anjo da Noite” foi apontado como chefe do núcleo “Sintonia Geral do Estado”

Guilherme Henri
Policiais envolvidos em operação durante coletiva de imprensa em Minas Gerais (Foto: Divulgação/ PCMG)Policiais envolvidos em operação durante coletiva de imprensa em Minas Gerais (Foto: Divulgação/ PCMG)

Desencadeada pela polícia de Minas Gerais, operação “Hefesto” contra o PCC (Primeiro Comando da Capital) cumpriu mandado de prisão nesta terça-feira (19) em Campo Grande. O alvo, Claudemir Rodrigues de Oliveira, o “Anjo da Noite”, estava na Penitenciária “Jair Ferreira de Carvalho”, o Presídio de Segurança Máxima.

Por meio da assessoria de comunicação, o delegado Marcus Vinicius Lobo Vieira Leite disse que Claudemir é apontado como chefe do núcleo denominado “Sintonia Geral do Estado”, que comandava daqui ações no outro estado. Claudemir tem passagens por tráfico de drogas.

Segundo nota da assessoria, no PCC o núcleo é a estrutura de maior importância para a facção dentro do Estado de Minas Gerais. A ela é atribuída a função decisória acerca da distribuição das funções, da participação nos batismos dos novos integrantes, do julgamento da conduta disciplinar dos integrantes, da transmissão das ordens das instâncias superiores (São Paulo), do julgamento de integrantes de facções inimigas (tribunal do crime), do controle e difusão de salves (ordens) para ataques a agentes e equipamentos públicos, dentre outras.

No total foram cumpridos 52 mandados cumpridos, sendo 22 de prisão e 30 de busca e apreensão, em Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte e Paraná. A operação foi considerada como a maior contra o crime organizado já realizada pela polícia de MG.

Além do núcleo “Sintonia Geral” foram identificados e presos outros níveis de participação da facção. De acordo com o último levantamento realizado pela polícia de MG, existem hoje mais de 2.200 membros do PCC em todo o país.

A operação recebeu o nome de "Hefesto", que faz referência ao Deus Grego, representado na forma de um ser grotesco, expulso do Olimpo e que ficou conhecido por seus artefatos produzidos por meio da forja e do fogo.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions