ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  16    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Preso em operação, homem diz que usa munição apreendida para caçar javalis

Duas prisões em flagrante serão analisadas hoje durante audiência de custódia

Por Aline dos Santos | 06/05/2020 09:28
Preso é levado para a Depac Centro durante operação ontem.  (Foto: Henrique Kawaminami)
Preso é levado para a Depac Centro durante operação ontem. (Foto: Henrique Kawaminami)

Preso na operação Piromania, realizada ontem pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), Wanderson da Silva, 31 anos, foi flagrado com munições e justificou que costuma sair para caçar javali. Questionado sobre o local da caçada, citou somente que é na região da Gameleira, saída para Sidrolândia.

O imóvel dele, no Jardim Los Angeles, em Campo Grande, foi alvo de mandado de busca e apreensão a partir das 6h10 de ontem (dia 5). No local, foram apreendidas cinco munições intactas de calibre 22, que estavam sobre a geladeira, e quatro munições intactas de calibre 38, essas dentro de um veículo.

O preso disse que pagou um real por cada munição de calibre 22 e que os demais projéteis foram deixados por um amigo. No Boletim de Ocorrência, registrado na Depac Cepol (Delegacia de Pronto-Atendimento Comunitário), Wanderson da Silva disse que já foi preso por tentativa de homicídio, mas foi absolvido.

No Vivendas do Parque, na saída para Três Lagoas, Paulo Roberto da Silva, 30 anos, foi preso em flagrante com 470 gramas de maconha. Ele estava na casa de uma amiga e assumiu ser o dono da mochila onde estava a droga. No Boletim de Ocorrência, relatou ser usuário e que compartilha o entorpecente de forma gratuita com os amigos. O caso foi registrado na Depac Centro.

As duas prisões em flagrante serão analisadas hoje durante audiência de custódia.

Dinheiro sendo queimado é a cena que marcou a operação Piromania. (Foto: Divulgação/Gaeco)
Dinheiro sendo queimado é a cena que marcou a operação Piromania. (Foto: Divulgação/Gaeco)

Luxo – Na operação Piromania, a 7ª Vara Criminal de Campo Grande expediu 20 mandados de prisão preventiva, 13 mandados de prisão temporária e 22 mandados de busca e apreensão nas cidades de Campo Grande, Coxim, Bela Vista e Sidrolândia. Essas prisões não passam pela audiência de custódia, somente os flagrantes.

O balanço de apreensões totaliza 578,41 quilos de maconha, 5,27 quilos de cocaína e 5 quilos de pasta-base de cocaína. Marcada pela ostentação do grupo, que se dava ao luxo de queimar dinheiro, a ação também apreendeu R$ 100 mil em dinheiro vivo e 92 pacotes de cigarros contrabandeados.

Com integrantes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), a organização criminosa atuava em crimes de tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo e lavagem de dinheiro.

A operação foi realizada com apoio do Batalhão de Choque, Bope (Batalhão de Operações Especiais) e Diretoria de Inteligência da Polícia Militar.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário