A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

07/05/2013 10:24

Professores rejeitam proposta de Bernal e decidem se vão fazer greve

Viviane Oliveira e Mariana Lopes
Assembleia discute como pressionar prefeito da Capital (Foto: Vanderlei Aparecido)Assembleia discute como pressionar prefeito da Capital (Foto: Vanderlei Aparecido)

Pela segunda vez, os professores da rede pública municipal de ensino rejeitaram, em assembleia nesta terça-feira (7), o reajuste de 8% proposto pelo prefeito Alcides Bernal (PP). Ainda nesta manhã, a categoria vota uma contra proposta para encaminhar ao município e se entra em greve.

De acordo com a vice-presidente da ACP (Sindicato campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública), Geruza Ferreira Saraiva, o prefeito justificou que não tem orçamento para aprovar o reajuste de 31,61%. “Nós podemos aceitar até o parcelamento, mas queremos esse reajuste para 2013”, afirma.

Cerca de mil professores acompanham a assembleia na ACP, que está lotada. Um faixa da rua 7 de Setembro teve que ser interditada porque um multidão ocupa a frente do prédio.

Ontem (6), Bernal rejeitou a proposta de antecipar o piso nacional do magistério para 20 horas neste ano e manteve o reajuste de 8% nos salários dos professores. É um dos menores índices, já que a maior parte do funcionalismo público receberá reajuste de 18%.

A rede municipal de ensino conta com cerca de 5,5 mil profissionais. A proposta inicial do sindicato foi de 31%, índice necessário para que os professores da Capital passassem a ganhar conforme o piso. O prefeito fez um apelo para a a diretoria do sindicato para que a categoria não entre em greve.

Nesta terça-feira a paralisação na rede municipal é parcial. Na Escola Municipal Arlindo de Andrade Gomes, no Jardim dos Estados, as aulas acontecem normalmente. Já na Escola Geraldo Castelo, no bairro Monte Líbano, as aulas foram suspensas por causa da assembleia.



devemos reivindicar nossos direitos sim, mas comparar com as categorias que ganham um salario indigno que trabalha 8 horas e desumano, afinal nos pedimos 30% e conseguimos 18.
e o profuncionario como fica?
 
chrisley regina pereira em 07/05/2013 21:22:21
Me entristece ver pessoas mais preocupadas em "onde deixar seus filhos" caso seja feita a greve, do que nos direitos e dignidade desrespeitados dos professores! Que façam greve! Fechem tudo! Professor é a profissão mais básica e necessária da sociedade, e deve ser tratada à altura!
 
Gisele Sena Bertolazo em 07/05/2013 19:56:42
Irresponsabilidade das duas partes... o que fazemos com as crianças? levamos para o nosso trabalho? não podemos entrar em greve... não podemos deixá=las sozinhas... e aí?
 
Leticia Silva em 07/05/2013 11:13:14
Eu concordo que os professores devam sim receber o aumento para atingir o piso salarial da categoria, porém não concordo como é colocado "É um dos menores índices, já que a maior parte do funcionalismo público receberá reajuste de 18%", não tem como comparar os salários, pois esta maior parte do funcionalismo público municipal é a parte que recebe os menores salários.
 
Maria Lúcia Pereira em 07/05/2013 10:59:03
Se fosse com o prefeito antigo... ja tinham rezado na cartilha...acho que tem mesmo direito de brigar... mas nas ideias... afinal professores sao os donos do argumento !!!
tudo sem prejudicar os alunos.
 
Renato Dutra em 07/05/2013 10:53:15
Tem que fazer, se não houver negociação: é na tem que ser na força!
E se todos se unirem a vitória é garantida!
 
JESSICA MACHADO em 07/05/2013 10:46:13
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions