ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUARTA  22    CAMPO GRANDE 32º

Capital

Protesto pede demissão de funcionários da Omep e da Seleta

Cerca de dez pessoas estão em frente ao Fórum onde acontece audiência de conciliação entre o prefeito Marquinhos Trad (PSD) e o juiz Davi de Oliveira Gomes Filho

Por Amanda Bogo e Christiane Reis | 13/01/2017 14:01
Grupo faz protesto silencioso em frente ao Fórum de Campo Grande (Foto: Christiane Reis)
Grupo faz protesto silencioso em frente ao Fórum de Campo Grande (Foto: Christiane Reis)
Autoridades durante audiência (Foto: Christiane Reis)
Autoridades durante audiência (Foto: Christiane Reis)

Grupo com dez pessoas protesta em frente ao Fórum de Campo Grande, na tarde desta sexta-feira (13), em apoio à decisão do juiz Davi de Oliveira Gomes Filho, do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), de suspender contratos da Omep (Organização Mundial para Educação Pré-Escolar) e da Seleta Sociedade Caritativa Humanitária.

A manifestação ocorre no local onde o prefeito, Marquinhos Trad (PSD), participa de audiência de conciliação com o juiz Davi de Oliveira, que começou às 13h30, para tratar da decisão de demitir os 4,3 mil tercerizados e o rompimento dos convênios com o Poder Público. Os manifestantes afirmam serem aprovados em concurso realizado em 2013 e homologado em 2014 para vagas tanto na Omep quanto na Seleta.

A assistente social Selma Cavalhera, 42 anos, conta que ao todo cinquenta pessoas devem se reunir em frente ao Fórum em protesto silencioso para pedir a demissão imediata dos funcionários. Segundo ela, 5.300 pessoas foram aprovadas no concurso de 2013, porém nem todos foram chamados. “Dez vagas estavam previstas em edital para assistente social, e trinta e um foram chamados, sendo que alguns são terceirizados. Eles estão ocupando vagas dos aprovados, e de todas as categorias”, afirma.

Para Marcela Alves Campos, 30 anos, assistente social que prestou o concurso, o grupo está lá para apoiar o Ministério Público Estadual e o juiz Davi de Oliveira. “Queremos a demissão dos voluntários para tomar posse de nossas vagas”, ressaltou.

Marquinhos na chegada ao Fórum (Foto: Christiane Reis)
Marquinhos na chegada ao Fórum (Foto: Christiane Reis)

Audiência - A prefeitura, por meio da procuradoria-jurídica, pediu uma audiência com o juiz David de Oliveira Gomes Filho, autor da decisão que mandou demitir os 4,3 mil terceirizados e rompimento dos convênios com o Poder Público. A justiça, no entanto, revogou a primeira decisão e mandou todos os trabalhadores retornarem ao serviço.

Em sua chegada, Marquinhos disse que não poderia antecipar a proposta que seria feita durante audiência. “Vamos fazer o que for possível para honrar os compromissos”, finalizou.

Além do prefeito e do juiz responsável pela decisão, participam da audiência a vice-prefeita Adriane Lopes, o procurador do município Alexandre Ávalo, o promotor Marcos Alex, a secretária da Semed (Secretaria Municipal de Educação), Ilza Mateus de Souza, e da SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social), Maria Angélica Fontanari de Carvalho .

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário