ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, TERÇA  28    CAMPO GRANDE 34º

Capital

Salas são preparadas para volta presencial e pais devem assinar termo na escola

A volta às salas de aula de forma gradual na Rede Municipal começa no dia 26 de julho

Por Ana Paula Chuva e Bruna Marques | 14/07/2021 12:39
Espaço organizado para reunião de assinatura do termo com os pais. (Foto: Henrique Kawaminami)
Espaço organizado para reunião de assinatura do termo com os pais. (Foto: Henrique Kawaminami)

Na Escola Municipal Vanderlei Rosa, no Residencial Maranhão, em Campo Grande, os preparativos para a volta às aulas presenciais estão a todo vapor. Nesta quarta-feira (14), o Campo Grande News esteve no local e conversou com a diretora Lucilene Fernandes de Oliveira durante a organização do espaço.

Um dos próximos passos agora, ela lembra, é documentação que deve ser entregue pelos pais. Resolução da Semed (Secretaria Municipal de Educação), publicada no Diogrande de hoje, determina que todos os responsáveis legais assinem um termo de compromisso, mesmo que o aluno não volte par a sala de aula no próximo dia 26 de julho, data marcada para o retorno das aulas presenciais na Reme (Rede Municipal de Ensino).

Por essa razão a diretora Lucilene tem chamado os pais para reuniões presenciais onde eles recebem a explicação detalhada do documento que permite ou não a volta do filho para a sala de aula a partir desta quinta-feira (15). No local estão matriculados 1.372 alunos e por isso a direção optou em dividir os alunos em três grupos e não em 50% como define a legislação para volta.

Lucilene Fernandes, diretora da escola desde 2016. (Foto: Henrique Kawaminami)
Lucilene Fernandes, diretora da escola desde 2016. (Foto: Henrique Kawaminami)

“Esse termo tem clausulas que o pai tem que, após reunião presencial por grupos, hoje foi o grupo 4 e o 5, já como o protocolo exige com escalonamento, aferição e temperatura. E estamos explicando de forma detalhada cada clausula desse termo. Nós temos o projeto de volta as aulas, e a gente dividiu em três os grupos de alunos porquê, por mais que tenha três portões, queremos levar em conta a segurança de todos”, disse Lucilene.

A opção das reuniões com os pais para a explicação é justamente para mostrar aos pais como a escola está preparada para receber o aluno, mas mesmo assim se em um primeiro momento o responsável optar por não mandar a criança para a escola, ele poderá sinalizar a pretensão depois, porém vai esperar 10 dias depois de assinar o termo para o retorno às aulas presenciais.

Com a divisão de 1/3 dos alunos, escola consegue manter uma média diária de 260 crianças que não estarão circulando, já que entrarão em três portões distintos – um para a educação infantil, outro para os alunos do 1º ao 5º ano e o terceiro para alunos do 6° ao 9º.

“Esses alunos não se encontrarão porque são portões em espaços diferentes da escola, por isso optamos em não fazer a entrada escalonada. Todo mundo entra no mesmo horário, mas cada turma no seu portão.”, completou.

Com a divisão feita pela direção da Escola Vanderlei Rosa, as salas de aula terão entre 8 e 12 alunos, e a cada semana será um grupo em sala de aula e dois ficam em casa. Os alunos que estiverem em casa ainda contarão com um número de atendimento via WhatsApp para esclarecimento de dúvidas.

Cartaz com regras de biossegurança da Semed. (Foto: Henrique Kawaminami)
Cartaz com regras de biossegurança da Semed. (Foto: Henrique Kawaminami)

“Os professores desses alunos estarão em sala de aula. Então caso o aluno tenha alguma dúvida, ele vai ligar para um número de whatsapp falando qual é a dúvida e um outro profissional vai atender este aluno, porque o mesmo professor que está na sala de aula não consegue atender o aluno remoto e os grupos online das turmas serão extintos a partir do momento da volta do presencial”, continuou a diretora.

Assim como nas outras unidades da Reme, a Escola Municipal Vanderlei Rosa, todo o espaço conta com cartazes informativos sobre o uso de máscara, álcool em gel 70% e distanciamento.

As salas de aula foram preparadas com as carteiras já organizadas e com dispensers de álcool e o professor terá um kit com álcool 70%, folhas de papel toalha para que caso o aluno levante para ir até o banheiro o profissional já higienize a carteira.

Cartazes na entrada da escola explicam regras de biossegurança. (Foto: Henrique Kawaminami)
Cartazes na entrada da escola explicam regras de biossegurança. (Foto: Henrique Kawaminami)

Treinamento - Essa semana, os funcionários administrativos de toda a Reme passam pelo treinamento de biossegurança. Ao todo são 4,3 mil servidores entre merendeiras, recepcionistas, monitores de aluno, secretárias. Na próxima semana serão os mais de 7 mil professores que participam da preparação.

No dia 19 de julho, todos os alunos voltam para as aulas de forma remota e no dia 26 começa o retorno gradual de quem optou pelo presencial.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário