A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 23 de Setembro de 2017

15/08/2017 15:35

Suspeito de tentar matar "irmão" de igreja vai responder pelo crime em liberdade

Adriano era amante da esposa de Lídio, a vítima. Os três eram fiéis evangélicos de uma mesma congregação.

Adriano Fernandes e Yarima Mecchi
Adriano durante apresentação esta manhã (15) no 5º DP. (Foto: Marcos Ermínio)Adriano durante apresentação esta manhã (15) no 5º DP. (Foto: Marcos Ermínio)

O líder evangélico Adriano Pacheco, de 30 anos, vai responder em liberdade pela tentativa de homicídio contra Lidio Sartorio Villalba, 46 anos. Ele se apresentou esta manhã (15) na 5ª DP (Delegacia de Polícia) e confessou ter tentado matar com quatro tiros a vítima, no último 24 de julho, pela Avenida Presidente Ernesto Geisel, no Jardim Nhanhá, em Campo Grande.

Os dois eram colegas de igreja, no entanto, o autor teria se envolvido com a esposa de Lídio que inclusive teria facilitado toda a ação. Em depoimento, Adriano disse ter sido avisado pela mulher, não identificada, de que o esposo estaria sozinho na igreja, no dia do crime.

O autor então teria esperado a saída de Lídio da igreja e o perseguido pela Avenida Ernesto Geisel, ambos em motocicletas. “Eles teriam ficado lado a lado em dado momento quando a vítima teria feito um movimento suspeito com o braço e ele atirou”, comentou o delegado Jairo Carlos Mendes, titular da delegacia e responsável pelo caso.

Delegado Jairo Mendes, responsável pelas investigações. (Foto: Marcos Ermínio) Delegado Jairo Mendes, responsável pelas investigações. (Foto: Marcos Ermínio)

Lídio foi alvo de pelo menos quatro disparos e foi atingido em um dos braços e tórax, mas não corre risco de vida. “Ele alegou que ao ver a vítima sagrando fugiu para sua residência, escondeu a arma do crime, estava assustado, mas se arrependeu e por isso se apresentou só agora”, acrescenta o delegado.

Ainda em depoimento Adriano contou que já havia sido ameaçado pela vítima via Facebook, depois de ter “curtido” algumas fotos da mulher. Foi quando para sua segurança ele teria comprado o revolver por R$ 1,4 mil pela antiga rodoviária de Campo Grande.

Adriano prestou depoimento acompanhado de um advogado que preferiu não se pronunciar. Ele foi indiciado pelo crime mas vai responder em liberdade por estar colaborando com a investigações e ter se apresentado espontaneamente a delegacia.

A esposa da vítima também foi ouvida, mas negou qualquer tipo de participação. Contudo, a polícia ainda investiga um possível envolvimento da mulher. Ela ainda mora com o ex-marido, mas mantém o relacionamento com Adriano.

“Quem quer de fato se separar, tem de terminar de forma amigável porque quando as coisas chegam nesse ponto a polícia tem sim de interferir, ‘meter a colher’. Não vale a pena manter um relacionamento quando não há mais sentimento. É bom evitar”, conclui o delegado.

Além de se entregar, o autor também entregou a arma e os celulares usados no crime. O casal não possui passagens pela polícia.

Caso - Lidio e foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e levado à Santa Casa. Conforme boletim de ocorrência, uma vizinha contou que ouviu três disparos de arma de fogo. Em seguida, saiu de casa para ver o que havia acontecido e encontrou o homem caído na rua.

Ao se aproximar, a mulher reconheceu a vítima como membro de sua igreja e acionou o socorro.
Na sequência, a mulher de Lídio também chegou ao local. Antes de ser baleado, o homem seguia em uma motocicleta Honda Biz, de cor preta.

Arma usada na tentativa de homicídio. (Foto: Marcos Ermínio) Arma usada na tentativa de homicídio. (Foto: Marcos Ermínio)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions