A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

03/12/2013 09:28

Trabalhadores que superam próprios limites e aproveitam as possibilidades

Mariana Lopes
Áurea executa funções de escritório, tudo com um software adaptado para cegos (Foto: Cleber Gellio)Áurea executa funções de escritório, tudo com um software adaptado para cegos (Foto: Cleber Gellio)
O caderno sempre fica ao lado de Áurea, para anotações. Tudo em braille. (Foto: Cleber Gellio)O caderno sempre fica ao lado de Áurea, para anotações. Tudo em braille. (Foto: Cleber Gellio)

“Às vezes, com um ajuste, a tarefa se torna possível, posso fazer de outra forma, mas chego ao mesmo resultado. Sou realizada no meu trabalho”. Este é o depoimento de Áurea Sena, 48 anos. Ela é cega e desempenha as funções de escritório na empresa Tendência, em Campo Grande. No dia-a-dia, ela supera seus próprios limites e aprendeu, com o tempo, a valorizar as possibilidades.

Áurea faz parte da porcentagem do quadro de funcionários portadores de deficiência que a empresa tem. Rápida no gatilho e segura de si mesma, ela afirma que o primeiro combinado feito quando começou a trabalhar é de que ela só iria dizer que não consegue realizar uma tarefa depois que tentasse.

“Já aconteceu de eu achar que não dava conta de fazer, mas, depois de tentar, conseguia”, ressalta Áurea. Mas a lição ela aprendeu depois de muita discriminação em outros trabalhos. “Geralmente vem de pessoas com nível mais elevado, que acabam decidindo o que é bom pra mim dentro do conceito delas, daí, se não consigo fazer, acham que eu ou incapaz, não pensam que eu preciso de alguma ferramenta”, pontua Áurea.

De olho justamente nesta prerrogativa, a Tendência criou o Nath (Núcleo de Apoio Tendência Humana), para acompanhar o profissional e identificar em qual função ele se encaixa melhor, conforme explica a gerente de Recursos Humanos e psicóloga organizacional da empresa, Rose Martins.

Rose explica que é preciso aumentar o tempo de experiência dos trabalhadores com alguma deficiência (Foto: Cleber Gellio)Rose explica que é preciso aumentar o tempo de experiência dos trabalhadores com alguma deficiência (Foto: Cleber Gellio)

“O mercado tem profissionais portadores de deficiência que são exímios, mas quando são direcionados para aquilo que conseguem realizar. O que falta em algumas empresas é a consciência organizacional para direcionar melhor o trabalhador”, critica Rose.

Com o projeto funcionado desde abril deste ano, a Tendência caminha para preencher os 5% do quadro de funcionários portadores de deficiência, mas, apesar de ter exemplos de sucesso na empresa, a falta de qualificação profissional básica ainda é um desafio a ser superado.

“Não queremos apenas cumprir legislação, a pessoa tem que somar com a empresa, nosso objetivo é fazê-la produtiva no exercício da função que ela executar”, pontua Rose.

Para isso, a gerente ainda faz o apelo para aumentar o tempo de experiência, que atualmente é de 90 dias. “Neste prazo não há como identificar o que o trabalhar com deficiência pode executar com melhor desempenho, o ideal seriam de cinco a seis meses, para não haver injustiça”, comenta a gerente de RH.

 

Brinquedos feitos por detentos são doados para crianças em escola
Parceria feita entre a a Semed (Secretaria Municipal de Educação) e a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) garantiu ne...
Falta de pagamento faz prefeitura suspender hemogramas na rede pública
A falta de pagamento para um fornecedor de insumos fez com que a prefeitura de Campo Grande suspendesse a partir desta quarta-feira (13) a realização...


Quero parabenisar o campo grande news por esta matéria que traz o reconhecimento profissional desta pessoas especiais como a Áurea Sena ,tive o prazer de ser colega de sala de aula com ela no colégio Lúcia Martins Coelho em C.Grande e posso afirmar que o que falta a Ela em visão Deus deu em dobro em inteligencia,mais uma vez parabéns por esta matéria que me trouxe belas recordações e um super beijo a Áurea.
 
maria aparecida de oliveira em 03/12/2013 13:16:58
Parabens tambem para Delurdes, CCZ (deficiente visual e telefonista), que DEUS a abençõe e a todos os deficiente fisicos que não são deficientes mas sim EFICIENTES FISICOS. Tambem para a Rosa Maria Batista Santos e sua filha Sarah, que são deficiente e tira de letra todas as barreiras!!!!!
 
Valdecí Batista Santos em 03/12/2013 12:04:03
Muito elogiável a iniciativa! Essa sim é uma empresa que entende o que é responsabilidade social. Que sirva de exemplo!!
 
Raquel M. em 03/12/2013 10:27:49
Parabéns Aurea, pela sua força de vontade e dedicação!!!!
 
Graziele Regiane em 03/12/2013 10:15:18
Excelente iniciativa! Infelizmente vemos que os portadores de necessidades especiais são subaproveitados, quando na realidade têm muito potencial para exercer funções que nem se imagina.
Uma vez entrevistei um rapaz cego (a quem passei a admirar muito, pois ele é um exemplo de garra e vontade de viver), e ele me reafirmou uma frase de uma escritora norte-americana - da qual não me lembro o nome - de que "as maiores barreiras são impostas pelas pessoas, e não pela deficiência em si".
 
Mériele Oliveira em 03/12/2013 10:04:51
Parabéns Aurea!!! Sua dedicação e entusiasmo inspiram e nos motiva a sair de qualquer zona de conforto.
Equipe NATH.
 
Jaqueline Lima em 03/12/2013 10:02:32
Parabéns a Aurea e a empresa pela oportunidade oferecida a quem também precisa trabalhar.
 
jose corsine em 03/12/2013 09:43:40
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions