ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SEXTA  27    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Traficantes exigem R$ 2 mil por motorista do PR que sumiu em MS

Motorista, de 46 anos, estaria sendo mantido refém na boca de fumo por não ter como pagar droga que usou

Por Adriano Fernandes | 27/01/2022 23:22
Sequestro foi registrado na Depac do Centro da Capital. (Foto: Paulo Francis)
Sequestro foi registrado na Depac do Centro da Capital. (Foto: Paulo Francis)

Desaparecido desde esta tarde um motorista de Curitiba (PR), de 46 anos, pode estar sendo mantido refém de traficantes, em Campo Grande. Suspeitos teriam entrado em contato com a família da vítima, pedindo R$2 mil para libertá-lo, mas mesmo com o adiantamento de parte do valor a vítima ainda não foi localizada.

Quem denunciou o sumiço do trabalhador à Polícia Civil nesta quinta-feira (27), foi o patrão do motorista. Em depoimento, o empresário contou que o funcionário teria ido à Jardim e estava retornando para a Capital, quando o seu caminhão estragou no meio do caminho.

Um guincho foi contratado e trouxe o trabalhador e o veículo até uma oficina, no Bairro Coronel Antonino. Patrão e empregado conversaram pelo celular por volta das 12h e o combinado era de que o motorista aguardasse na oficina a chegada do empresário com a peças do caminhão. No entanto, ao chegar no estabelecimento o empresário foi informado pelos mecânicos do local que o motorista pegou R$ 120,00 emprestado para almoçar e não retornou mais.

Somente às 16h05 que a esposa da vítima, conseguiu entrar em contato com o patrão do marido, informando sobre o que pode ter ocorrido com o motorista. A mulher está em Curitiba e informou que teria recebido ligações de pessoas exigindo R$ 2 mil para libertar a vítima.

Os suspeitos estariam com o motorista em uma boca de fumo, que fica "próxima da caixa d'água do Bairro Coronel Antonino". Os supostos traficantes ligaram do celular da vítima e disseram que o motorista teria usado drogas no local e não tinha dinheiro para pagar.

Os criminosos também entraram em contato com o irmão da motorista, que também está no Paraná. Ele informou que tinha  apenas R$ 200,00 na conta, transferiu o valor para os criminosos, mas mesmo com o depósito do valor o motorista não foi liberado. Desde então a família não consegue mais entrar em contato com os criminosos.

O caso foi registrado como extorsão mediante sequestro na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento) do Centro e a Polícia Civil investiga o caso.


Nos siga no Google Notícias